Ipês preocupam moradores do Bairro Alto

Árvores estão estourando a calçada no Bairro Alto, atrapalhando a paisagem (Foto: Amanda Vieira/JP) Árvores estão estourando a calçada no Bairro Alto, atrapalhando a paisagem (Foto: Amanda Vieira/JP)

Dois Ipês brancos vêm trazendo problemas aos moradores da rua Alfredo Guedes, no Bairro Alto. De acordo com moradores, as raízes das árvores estão estourando a calçada, o que atrapalha na passagem, além do risco de queda. Segundo Rosa Maria Colasante Ribeiro, 60, as árvores já ultrapassaram os fios de alta-tensão, arrebentando o capelo e as telhas de sua casa e a do vizinho. Ambos temem que as árvores caiam em cima da residência. “Do jeito que está dá medo, pois cair e estraga tudo”, diz.

“A gente vem pedindo a poda delas desde 2017. Na época, a prefeitura disse que as árvores estavam ‘enforcadas’ e que deveria aumentar o quadrado delas. Nós quero a poda não porque não queremos as árvores, mas sim porque chegou num estado crítico”, relata a aposentada.

A moradora diz que próximo da rua há uma clínica onde muitos idosos frequentam e por falta de vagas, eles estacionam perto de sua casa. “Recentemente foi preciso ajudar uma senhora a sair do carro, com a calçada desse jeito, toda estourada. Dá medo de alguém tropeçar e cair, o que já quase aconteceu semanas atrás”, conta.

Ainda de acordo com Rosa, ao procurar a prefeitura pela questão dos galhos estarem na altura dos fios de alta-tensão, ela foi instruída para entrar em contato com a CPFL, mas a empresa disse que a responsabilidade era da prefeitura. “Eles ficavam jogando a responsabilidade um para o outro e tem vizinho que disse que saiu a autorização da poda, mas não saiu, pois não fui notificada. As árvores incomodam a todos da rua, mas sem a autorização não tem o que fazer.”

Em nota, a Sedema (Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente) respondeu que o Setor de Arborização informou que número do processo de 2017, após a vistoria técnica, foi indeferido, porque, na época, a árvore encontrava-se sadia e equilibrada. Depois do atendimento, a decisão foi comunicada ao munícipe via correio, sendo arquivado o pedido. Em relação a reclamação desse ano, eles informam que ela encontra-se na programação para vistoria e providências posteriores.

Letícia Azevedo