Jairo Ribeiro de Mattos deixa um legado imensurável a Piracicaba

Lema de Mattos era simples e profundo: “o amor constrói” (Foto: Amanda Vieira/JP)

As bandeiras a meio mastro no Centro Cívico simbolizam o sentimento de Piracicaba. A cidade está enlutada. Pela perda de um piracicabano com talentos múltiplos, dedicação contínua ao próximo e visão social analítica, foi decretado luto oficial no município por três dias. Piracicaba está a digerir como será viver sem Jairo Ribeiro de Mattos, que morreu na noite do último domingo (12), vítima de um AVC (Acidente Vascular Cerebral), aos 89 anos de vida.

Foram anos muito bem vividos e que deixaram um legado imensurável para uma cidade. Seu lema era simples e profundo: o amor constrói. E Mattos construiu a primeira cidade geriátrica do país: o Lar dos Velhinhos, que acolhe, cuida e faz com que a terceira idade floresça, instituição a qual dedicou quase 50 anos.

Artista e comunicador nato, Mattos também foi escultor e escritor, rádio difusor, engenheiro agrônomo, professor doutor da Esalq/USP, empresário, deputado estadual, vereador e candidato a vice-prefeito. Uma vida plena para um homem que amava viver. Entre seus valores estava a defesa da conservação da natureza e a promoção do homem.

“Ele sempre foi uma pessoa muito altruísta, muito dinâmica, nunca teve preguiça de nada e sempre nos guiou no caminho da retidão. Uma pessoa de caráter que é difícil de achar hoje em dia. Uma pessoa de uma honestidade grande, preocupada com o bem-estar geral e ele sempre dizia que a gente tem que viver a vida feliz, do jeito que a gente gosta, e ele gostava muito de trabalhar”, conta a filha Ana Cristina Meirelles de Mattos Marcondes, 61 anos.

Casado com a senhora Anna Maria Meirelles de Mattos, além de Ana Cristina, Mattos também deixa as filhas Ana Maria de Mattos Hartsema e Ana Teresa Meirelles de Mattos Arzolla e o filho Jairo Meirelles Ribeiro de Mattos (Jairinho).

A despedida de Mattos ontem (13) no Velório da Saudade, como sua vida, foi rodeada de amigos, familiares e de muitos admiradores. “Pessoas como ele vão fazer muita falta. Ele não tinha inimigo, era uma pessoa muito querida em ajudar e eu acho que ele cumpriu bem a função dele aqui na terra”, reflete Jairinho.

Dentro ou fora da cidade, Mattos sempre representou a cidade. Foi deputado estadual pelo PFL por três mandatos: 1979/1983, 1987/1991 e 1991/1995. Entre seus principais feitos como legislador estadual estão à instituição do “Dia do Idoso” a ser comemorado em 21 de setembro todo ano, a lei estadual sobre uso, conservação e preservação do solo agrícola, a instituição da Carteira de Saúde do Escolar e a inclusão no Calendário Turístico do Estado a “Festa de Corpus Christi” realizada todo ano em Piracicaba.

Como rádio difusor era proprietário, junto à esposa e filhos, da rádio Educadora AM e Jovem Pan FM.

Em 2006, recebeu o título de Piracicabanus Praeclarus pelos relevantes serviços prestados ao município, em especial ao Lar dos Velhinhos. “Ele via uma pessoa precisando de alguma coisa, por menor que fosse, ele estendia a mão, ele usava a influência dele, não economizava tempo, tirava muito dinheiro do bolso, ele gostava de ajudar as pessoas sem nada em troca. Eu aprendi muito isso com ele. Eu tenho a certeza que quando você ajuda alguém sem aguardar nada em troca você é muito gratificado por alguém lá em cima, isso eu aprendi com ele”, continua Jairinho ao lembrar os ensinamentos do pai, que muitos piracicabanos também cultivam graças ao legado de Jairo Ribeiro de Mattos.

Mattos dedicou-se à docência e à pesquisa de 1963 a 1990 (Foto: Arquivo/JP)

A ciência do artista: Esalq/USP também foi a sua segunda casa

Aos 24 anos de idade o jovem Jairo Ribeiro de Mattos graduou-se em engenharia agronômica pela Esalq/USP. Lá em 1955 iniciou uma trajetória repleta de realizações e também dedicada ao próximo. Com os ensinamentos da Esalq e suas inspirações pessoais, Mattos uniu a essência de artista focada em ajudar o outro com a ciência, que lhe deu bagagem para sua vida política, artística e de administrador.

Um professor dentro e fora da sala de aula, Mattos cultivou entre os seus valores a conservação da natureza e a promoção do homem. Dedicou-se à docência e à pesquisa na área da Floricultura de 1963 a 1990, período em que alcançou o título de doutor. De acordo com o filho Jairo Meirelles Ribeiro de Mattos (Jairinho), o pai foi ainda livre docente da Esalq, símbolo piracicabano que também recebeu contribuições imensuráveis de Mattos.

“Mesmo aposentado, como deputado estadual, deu grande ajuda à Esalq, podemos lembrar da efetivação do Horto Florestal de Itatinga que passou a integrar como área do campus “Luiz de Queiroz”, em agosto de 1988, […], que representa hoje um centro de referência de pesquisas do Departamento de Ciências Florestais”, lembra o diretor da Esalq, Durval Dourado Neto.

Por meio de lei estadual, Mattos também conquistou que a Adealq (Associação dos ex-alunos Luiz de Queiroz) fosse declarada de utilidade pública. E, claro, não poderia deixar de usar seus conhecimentos como cientista para benefício dos residentes do Lar dos Velhinhos.

“Em 1999, preocupado com a saúde dos idosos, estimulou na Esalq uma pesquisa sobre o efeito da utilização de um complemento alimentar. Em conjunto com o Departamento de Alimentos e Nutrição, sugeriu pesquisa de mudança de hábitos alimentares, substituindo as carnes gordurosas por um suplemento de cereais, leguminosas e oleaginosas que reduziu significativamente o gasto com medicamentos”, conta Dourado Neto.

Tamanha dedicação e apreço pela universidade não passaram em branco. Mattos foi homenageado, no Centenário da Esalq em 2001, com a Medalha Paulista Mérito Científico e Tecnológico, que foi entregue pelo então governador Geraldo Alckmin.

Lar dos Velhinhos: a obra-prima de Jairo de Mattos

Entre as tantas contribuições à cidade, o Lar dos Velhinhos de Piracicaba era a grande paixão de Jairo Ribeiro de Mattos. Por ter perdido o pai muito cedo, pelo contato constante e referência dos avós e padrinhos, Mattos cultivou um amor sem igual para com os idosos. Assim, sua obra-prima não poderia ser diferente.

O bem-estar dos moradores do Lar era a prioridade de Mattos, o que fazia seus olhos brilhar. Até seus últimos dias de vida dedicou-se a promover ainda melhores estruturas à instituição centenária com a qual escolheu escrever sua história e onde atuou por quase 50 anos.

“Papai sempre se dedicou muito ao Lar dos Velhinhos, ele estava muito empolgado com a inauguração de uma enfermaria nova […] estava muito empolgado também porque estava fazendo um grande salão novo […] não estava definido ainda se ia ser um grande restaurante ou um salão, mas era uma obra grande dentro do Lar que está em andamento”, recorda o filho Jairo Meirelles Ribeiro de Mattos (Jairinho). “Ele estava empolgado e até no leito do hospital ele lembrava ‘precisamos ver os vidros, agora está chegando a hora dos vidros’”, conta.

O Lar dos Velhinhos de Piracicaba é a primeira cidade geriátrica do país graças à dedicação de Mattos. Dedicação essa que foi reconhecida nacionalmente em 2018 quando recebeu, no Congresso Nacional, o Prêmio Zilda Arns, em reconhecimento às pessoas e instituições que se destacam por ações em defesa dos direitos das pessoas idosas.

Entre outros merecidos reconhecimentos, a instituição também recebeu em 2011, da Câmara dos Vereadores de Piracicaba, o prêmio Madre Tereza de Calcutá de Direitos Humanos pela trajetória centenária de dedicação e assistência a pessoa idosas.

Com a generosidade do artista que foi, Mattos entregou à cidade no começo desde ano o livro “Anos de Minha Vida e a Cidade Geriátrica”, em uma edição luxuosa digna de suas memórias que foi publicada via Icen (Instituto Cecílio Elias Netto), outro artista que conviveu com Mattos e agora também tenta digerir sua partida.

Vivem no Lar atualmente cerca de 410 idosos que sentem no peito a partida de um padrinho querido e um diretor dedicado.

Orgulho em mostrar seu livro lançado no início deste ano (Foto: Amanda Vieira/JP)

Quando a saudade apertar, basta olhar para suas obras

Não se fala por aí que um artista nunca morre? Que sorte a nossa. Pois é, além de suas conquistas e legado, Jairo Ribeiro de Mattos também presenteou a cidade com suas obras de arte: são bustos que exprimem sua sensibilidade sem igual.

Nada melhor do que um artista para reconhecer outro, então, com a palavra Cecílio Elias Netto: “Jairo Mattos teve o dom de sintetizar – em si mesmo, em sua personalidade, em sua vida – os valores mais sólidos de uma terra construída por paradoxais fundamentos conservadores/progressistas. Progredimos, conservando raízes profundamente sólidas. Jairo é esse referencial. E recuso-me em escrever ‘ter’, ele, sido essa referência, pois Jairo Mattos ‘é’”, escreveu Cecílio em texto de homenagem.

Em alguns pontos da cidade o legado de Mattos ganhou concretude e serão eternas referências para quando os piracicabanos precisarem alimentar a saudade do artista Jairo Mattos.

O busto em bronze de José Pinto de Almeida, fundador da Santa Casa de Piracicaba, por exemplo, foi esculpido por Mattos em comemoração aos 150 da instituição, em 2004. No próprio Lar dos Velhinhos, na capela São José, a escultura de Jesus Cristo também é de autoria dele, assim como a escultura de São Francisco que está em frente à igreja dos Frades, conforme recorda o filho Jairo Meirelles Ribeiro de Mattos (Jairinho).

“Papai tinha habilidade muito grande com argila. Ele fazia molde em barro, ele fazia estátuas, cabeças, que ele chamava. Eu desde criança vi muitas vezes ele fazendo obras das pessoas, nunca cobrou um tostão”, recorda Jairinho. “Ele recebeu medalha de ouro no São de Belas Artes aqui. Fez um busto de uma pessoa – não vou saber precisar quem é – ele guardava com muito carinho”, conta o filho.

Sua obra de vida também pode ser rememorada pelos piracicabanos no livro autobiográfico “Anos de Minha Vida e a Cidade Geriátrica”.

Como diz Cecílio Elias Netto, “o que, porém, mais dói e machuca é pensar como será a vida sem Jairo Ribeiro de Mattos, a vida em Piracicaba”. Mas em sua obra sempre haverá sua vida. “Ainda bem, ele estar apenas morto. Pois, morrer, não morreu de verdade. Um ideal de vida não morre”, finaliza Cecílio.

Frases sobre Jairo Mattos, uma personalidade ímpar

“Jairo era um artista por excelência. Nos deixa como legado a obra de sua vida: o Lar dos Velhinhos.”
Barjas Negri, prefeito de Piracicaba

“Perdemos uma referência. Reconhecido por todos pela trajetória e contribuição à construção de Piracicaba.”
Gilmar Rotta, presidente da Câmara dos Vereadores

“Deixa um legado extremamente importante, um exemplo para que as pessoas sigam, sem dúvida fará muita falta”.
Luiz Carlos Furtuoso, presidente da Acipi

“Nós perdemos praticamente um baluarte para a terceira idade. O que o impulsionava era o coração.”
Antônio Pedro de Carvalho, 1º vice-presidente da CDL

“Deixou notável legado, no plano profissional e pessoal. Um amigo permanente, auxiliava a todos”.
Silvio Rodrigues Alves, presidente do Conselho Administrativo do Lar dos Velhinhos

“Ele foi uma figura fantástica e ele sabia disso! Vai demorar para Piracicaba ter uma figura igual a ele.”
Euclides Baraldi Libardi, presidente do Simespi

“Sempre distribuiu motivação e bom ânimo a todos que desfrutaram de sua presença”.
Nelson Ladeira, presidente do Conselho Municipal do Idoso

“Será lembrado pelo carisma e dinamismo em que se envolveu com os inúmeros projetos que orientou”.
Durval Dourado Neto, diretor da Esalq/USP

“Ser humano íntegro. Apaixonado pela família, envolvido com a cidade e solidário com os que mais precisam.”
João Orlando Pavão, provedor da Santa Casa de Piracicaba

“Jairo foi um grande amigo, companheiro, empreendedor e líder. Ele foi para mim um verdadeiro pai”.
José Coral, presidente do Hospital dos Fornecedores de Cana

Andressa Mota

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

3 × cinco =