Magistrado vai analisar argumentos da defesa | Foto: Claudinho Coradini/JP

O juiz da Vara de Júri e Execução Criminal, Luiz Antônio Cunha, recebeu a denúncia do MP (Ministério Publico) de homicídio por dolo eventual do condutor de um Toyota Corolla blindado, que matou mãe e filho em um acidente de trânsito, na avenida Armando Salles de Oliveira, no domingo, 23 de agosto de 2020.
“Foi determinada a citação do réu e então ele apresentará a defesa escrita para que se possa analisar os argumentos”, disse o magistrado.


O CASO
O motorista Renê Aparecido Moura, 52, dirigia o veículo Fiat Uno da família, quando foi atingido pelo Toyota. A dona de casa e Vilmar Alves Moura, 52, e seu filho Gabriel Alves Moura, 26, que estavam dentro do carro não resistiram.
Na noite do acidente, Renê saiu de casa para buscar meu filho, que saiu do trabalho. Quando estava na avenida apenas senti um tranco muito forte no carro. Quando olhou para o lado encontrou sua esposa e seu filho mortos. Ele também foi hospitalizado com lesões na costela, mas teve alta no mesmo dia.

O condutor do Corolla foi autuado em flagrante sob acusação de homicídio culposo (sem intenção) e embriaguez ao volante. O MP-SP (Ministério Público de São Paulo) fez a denúncia por homicídio por dolo eventual e se for acatado pela Justiça, o motorista pode ir a júri popular. Ele continua preso.

A advogada Eliana Grigolatto, que representa o motorista Renê e a ex-esposa do Gabriel, mãe dos filhos da vítima disse recentemente, que moverá uma ação por danos materiais e pela lesão corporal grave provocada ao Renê.

Já a advogada e irmã do réu, Valéria Josias, não acredita que seu irmão ingeriu bebidas alcoólicas, pois considera que alguém colocou algo em sua bebida.

Cristiani Azanha
[email protected]

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

seis + oito =