Liminar obriga empresa a entregar testes rápidos para covid-19 em 10 dias

Pedido de 10 mil testes era para ter sido entregue em remessas em 17 e 28 de abril. (Foto: Amanda Vieira/JP)

A empresa Master Diagnostica Produtos Laboratoriais e Hospitalares Ltda está obrigada a entregar o restante do pedido de 10 mil testes rápidos de covid-19 à Prefeitura de Piracicaba no prazo de 10 dias, segundo liminar do juiz da Vara da Fazenda Pública de Piracicaba, Wander Pereira Rossete Júnior. A entrega deveria ter sido feita em remessas nos dias 17 e 28 de abril, mas apenas 10% do pedido chegou ao município. A empresa justificou o atraso à alta da demanda.

Na última semana, a Prefeitura entrou na Justiça, por meio da Procuradoria Geral do Município, para garantir a entrega dos testes, essenciais no combate à pandemia. Segundo o procurador-geral do município, Milton Sérgio Bissoli, a não entrega dos testes coloca a população e os profissionais da saúde em risco “principalmente neste momento que registramos aumento de casos”, diz.

De acordo com boletim divulgado nesta terça-feira (26) pela SMS (Secretaria Municipal de Saúde), a cidade tem 491 casos confirmados da covid-19 e 23 óbitos decorrentes da doença.

LEIA MAIS:

Cada teste rápido da compra em questão custa R$87,50. A compra será paga por meio de recursos do governo do Estado, que foram enviados à cidade para o enfrentamento da covid-19. Conforme informou a Prefeitura, o pagamento será feito somente mediante entrega dos testes.

Desde a semana retrasada, segundo a SMS, a cidade tem usado os 10.120 testes rápidos enviados pelo Governo Federal, “carimbados para exames de diagnósticos exclusivamente em idosos, profissionais de saúde e segurança pública”, conforme disse em nota.

O coordenador da Vigilância Epidemiológica, Moisés Taglietta, informou que a cidade segue os critérios de perfil do MS (Ministério da Saúde) para a realização dos testes.

A partir da semana passada, os critérios ficaram mais abrangentes, incluindo profissionais de limpeza, de transporte e pessoas com sintomas de síndrome gripal que tenham comorbidade e idosos com mais de 60 anos, conforme informou Taglietta.

De março até a última semana, 3.927 pessoas procuraram a tenda de triagem da covid-19, ao lado da UPA do Piraciramirim, mas não foram testadas por não cumprirem os requisitos da época.

Andressa Mota

[email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dois × 5 =