Profissionais da linha de frente são os mais afetados (Foto: Claudinho Coradini/JP)

Até a última terça-feira (26), Piracicaba contabilizava 121 profissionais da saúde diagnosticados com a covid-19. A informação é da APM (Associação Paulista de Medicina) Regional Piracicaba. Os dados são da Vigilância Epidemiológica do Município e foram repassados para o presidente da regional da associação, o médico Ricardo Tedeschi Matos, que explicou que nove dos diagnósticos citados eram de servidores da própria SMS (Secretaria Municipal de Saúde).

Entre os 121 profissionais infectados pelo novo coronavírus na cidade também estão médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem do SUS (Sistema Único de Saúde) e da rede privada, de acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde. A pasta tem cerca de dois mil servidores atualmente.

De acordo com Matos, “não há dados oficiais” sobre quantos profissionais estão internados, quantos estão em tratamento domiciliar ou quantos já se recuperaram. “Nos serviços em que atuo, temos cerca de 20 médicos com covid-19 e três médicos internados, um deles aposentado e dois em ventilação mecânica”, disse o presidente da APM em Piracicaba.

Matos informou ainda que, para garantir segurança aos profissionais da saúde na cidade que estão na linha de frente do combate a doença, a regional de Piracicaba replica todas as orientações e informes da APM Estadual, por meio de “links de comunicação, dados estatísticos e boletins informativos”.

“Como presidente da APM Piracicaba, tenho tido contato frequente com a Secretaria Municipal de Saúde e com a Vigilância Sanitária da cidade. Também temos enfatizado as orientações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde, apoiando as pessoas a ficarem em casa sempre que puderem”, lembra Matos.

O médico conta ainda que a associação monitora os locais em que possa haver falta de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e que comunica as autoridades. “Mas, felizmente tanto os hospitais da nossa cidade quanto o poder público municipal se esforçam e praticamente não há relatos de falta de materiais de EPIs aqui”, enfatiza Matos.

A reportagem questionou a Secretaria de Saúde sobre a atualização dos dados até quinta-feira (28), porém até o fechamento desta matéria não houve resposta.

Andressa Mota

1 COMENTÁRIO

  1. Se testarem todos os profissionais de saúde pode ter certeza que esse número quadruplica…
    Em Piracicaba não está sendo feito os testes dos profissionais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

11 − um =