Mais famoso símbolo da cidade está sendo resgatado pela Aperp

Amado pelo povo, Rio Piracicaba representa a cidade e encontra em associação ajuda para preservação. (foto: Divulgação/ Aperp)

Experimente falar que é de Piracicaba em qualquer lugar do Brasil. A primeira coisa que seu interlocutor vai perguntar, na esmagadora maioria das vezes, é sobre o rio que corta a cidade, muito provavelmente cantando um trechinho da música “Rio de Lágrimas”, composta por Lourival dos Santos em 1970 e eternizada por Tião Carreiro e Pardinho. Tão icônico quanto a pamonha e o XV de Piracicaba, o rio faz parte da paisagem do município, sendo seu cartão postal mais significativo.

Apesar do seu simbolismo e importância, o piracicabano, a despeito do seu amor pelo rio que deu nome à cidade, insiste em deixar de lado a preservação ambiental e poluir suas águas. É comum nos finais de semana, quando a região da Rua do Porto fica lotada de pessoas pelos restaurantes e também na Ponte Pênsil que leva ao Engenho Central, ver pessoas despreocupadamente jogando latinhas, garrafinhas de plástico ou embalagens de comida em suas águas turvas. Uma triste imagem que não condiz com o orgulho que os piracicabanos afirmam ter pelo rio.

E foi pensando no resgate tanto de sua beleza quanto das águas que há dois anos um grupo de amigos que praticava pesca esportiva se reuniu e fundou a Aperp (Associação dos Pescadores Esportivos do Rio Piracicaba e Afluentes). A entidade tem hoje cerca de 20 membros, que dividem o objetivo de planejar e executar ações para a preservação do Rio Piracicaba. Desde a sua criação, a Aperp tem feito ações mensais de preservação, de acordo com seu presidente, Marcelo Rufini. “Todas nossas ações são efetuadas com a ajuda de voluntários e parceiros. Já fizemos seis arrastões ecológicos, com a retirada de aproximadamente cinco toneladas de lixo do rio e três plantios com aproximadamente 500 mudas plantadas nas margens e nascentes”, conta.

Além disso, a entidade soltou, em parceria com a AES TIETÊ, cerca de 300 mil alevinos no Rio Piracicaba, preservando suas espécies dos peixes, e em 2018 retirou 613 pneus das suas águas, que foram levados à reciclagem, feito que trouxe à Aperp algumas homenagens na Câmara dos Vereadores da cidade. No mesmo ano, a Associação recebeu o Prêmio Destaque Ambiental organizado pelo Comdema (Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente).

Rufini define os membros da Aperp como “apaixonados pelo rio”. “Ele é a identidade cultural e turística da cidade. Boa parte da população trafega e convive ao seu redor, é impossível passar por ele e não admirar sua beleza, por isso a Aperp luta para que ele fique limpo e que a sujeira não atrapalhe esse momento, além da preservação das espécies que nele vivem.”

Assim, a Associação também busca conscientizar a população para que não polua mais o Piracicaba. “O rio é nosso bem mais precioso. Temos que cuidar dele, não jogar lixo no chão, fazer o descarte correto dos resíduos, ensinar nossas crianças para que ensinem seus filhos e netos, dando continuidade à essa missão tão importante para nosso planeta”, finaliza.

 

Andrea Mesquita
Especial para o JP