Mais que centenário e de lutas diárias

Por Alex de Madureira

Ao ensejo dos 122 anos de lutas diárias do Jornal de Piracicaba, quero externar, publicamente, meus cumprimentos à equipe que dirige e viabiliza o nosso bravo matutino.
São lutas constantes para bem informar e formar nossos cidadãos. Sempre com imparcialidade e opiniões plurais, que contemplam visões diversas sobre os desafios de construir uma Piracicaba, e porque não dizer região, cada vez mais pujante em todas as suas dimensões.
Sou dos tempos em que esperava ansioso o domingo chegar e, com ele, em minha casa lá em ‘Artemis’, poder folhear com alegria e entusiasmo o caderno infantil Jornalzinho, com suas histórias, jogos, passatempos, espaços para colorir, histórias em quadrinhos que eu ia lendo e me educando.
Mais adiante, como esportista, lia as notícias sobre o nosso Quinzão e a famosa coluna QG do XV, as fotos e os resultados dos jogos. Alegrava-me com as vitórias e me entristecia com as derrotas.
Também vibrei com a geração de Paula e Branca no time de basquete feminino da Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba) e acompanhei os resultados do futebol amador nos tempos dos times de ‘Artemis’, como o São João, o Bairro Alto e o próprio ‘Artemis’. Além dos clubes da “cidade”, Jaraguá, MAF, Vera Cruz, Rezende, Katatumba e seus goleadores famosos.
Acompanhava o noticiário político e adorava os pitacos do OFF-JP, sempre fustigando os nossos políticos e mostrando aos leitores os altos e baixos das ações da Prefeitura e da Câmara de Vereadores. Uma área que hoje acompanho mais de perto. Não mais o olhar de leitor, mas de como um dos novos protagonistas desta história.
No rol das minhas amizades ainda não tinha muito o que me preocupar com os falecimentos do dia. Mas contava à minha mãe “quem morreu hoje” ou a informava sobre missas de sétimo dia dos nossos amigos e conhecidos.
Agora, frequento com certa constância a página de opiniões do JP, ao lado de figuras de destaque na política e cultura local. São parceiros da vida pública e um grupo ilustre de intelectuais que comentam questões fundamentais para o desenvolvimento da nossa cidade.
Não posso mensurar a honra e a grande responsabilidade em ser umas das figuras públicas atuais em nosso município e região. Sou muito grato a Deus, por estar me proporcionando viver isso.
O nosso centenário JP, que chegava em casa cedinho, com um entregador de bicicleta ou de moto, hoje chega ao alvorecer com o toque silencioso do meu celular, anunciando um novo dia, com novas notícias, opiniões, fotos que vão compondo a história da nossa cidade.
Foi essa história que vi guardada com carinho quando conheci e visitei o IHGP (Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba), que guarda, lado a lado, os exemplares impressos ao longo destes anos, junto com outros periódicos que existiram em nossa cidade, dos quais o JP é o patriarca maior.
Meus cumprimentos ao Marcelo Batuíra e família, por sua história à frente deste grande representante condigno da imprensa brasileira, um dos veículos mais antigos, que se mantém aguerrido e combativo, por sua trajetória e contribuições, ao imprimir em letra de fôrma, todos os dias, um pouco da vida piracicabana. Assim, transformou-se em referência para todos nós.
Que continue assim, perene, seguro, pluralista por muitos e muitos anos. Esses são os meus desejos mais sinceros.

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dezesseis + 4 =