Esta semana em Piracicaba para muitas pessoas, voltam as atividades relacionados ao trabalho por estarmos na fase amarela, e com isso, ao que me parece, a negação de que a existência do vírus não estar mais em Piracicaba. Me perdoe, digo isso através de um simples passeio domingo de bicicleta com minha filha na Avenida Cruzeiro do Sul, onde 80% das pessoas não estavam usando máscaras ao praticar a sua atividade física.

O fato do exercício ser praticado ao ar livre, não quer dizer que não devemos nos cuidar e com isso cuidar do outro. Você pode estar infectado, não apresentar nenhum sintoma, passar a mão no nariz, colocar a mão em algum lugar e o vírus vai ficar ali, e dependendo do material, outra pessoa passa a mão onde o vírus esta, e a coloque nas vias aéreas, aumentando assim a proliferação. Com o uso de máscara, você já evitaria isso, ou reduziria as chances por exemplo.

Venho desde o começo da Pandemia dizendo que a atividade física é essencial para manter seus níveis altos de saúde, diminuir a inflamação do seu corpo, e manter a imunidade alta. A mensagem principal do uso de máscara é proteger os outros, já que segundo estudos, pessoas que praticam regularmente atividade física tem sintomas muito leves de Covid-19, mas podem infectar outros facilmente.

Além disso, através de um recente estudo que saiu no periódico Journal of General Internal Medicine com o título “Reducing the Inoculum of Sars-Cov-2 to protect the wearer” mostra que mesmo que você inale algumas gotículas portadoras do vírus usando máscara, os riscos de se adoecer gravemente se tornam menores, pois segundo o estudo, quanto mais vírus entra em seu corpo, mais doente você fica.

A medida que o tempo avança, surgem novas pesquisas que mostram que os padrões epidemiológicos onde o uso de mascaras já era comum como Japão, China, Tailândia e Coreia do Sul, as taxas de doenças graves e morte relacionadas a Covid-19 permaneceram muito baixas.

Este estudo mostra que as máscaras podem levar a infecções mais leves ou até assintomáticas, reduzindo desta forma a “dose” de vírus que as pessoas “ingerem”. Desta forma um pequeno número de partículas vírais tem uma maior probabilidade de ser reprimido pelo sistema imunológico.

O estudo sugere ainda que se mais pessoas usassem mascaras, poderíamos ver doenças menos sérias decorrentes da Covid-19 e uma proporção bem maior de casos assintomáticos, aliviando cada vez mais o fardo em cima do sistema de saúde e salvando mais vidas.

Gosto muito do que disse o historiador Leandro Karnal em recente entrevista a emissora CNN: “A propagação do vírus da Covid-19 é relacionada a educação e empatia”. No Brasil e infelizmente também em Piracicaba parece que temos que brigar com as pessoas para acreditarem na ciência, no uso de máscaras e também de pensarem de forma altruísta.

A mensagem é: mesmo com a abertura de tudo, enquanto todos nós não formos vacinados e a vacina for eficaz, a máscara protegerá outras pessoas, e se você acha que isso vai ajudar você ou sua família, vai estar também ajudando os outros e consequentemente a vencer esta propagação do vírus.

Até a próxima!

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dez − oito =