Manifesto contra morte de ciclista previsto para hoje é cancelado

Irmã do ciclista afirma que nosso manifesto será realizado (Claudinho Coradini/JP)

O manifesto contra a morte do ciclista Anderson Cleyton de Souza, de 39 anos, que estava previsto para às 17h desta sexta-feira (30), no local do acidente, foi desmarcado pelos familiares, amigos e um grupo de ciclistas que estavam envolvidos no ato. A iniciativa de suspender a iniciativa foi por conta do risco de aglomeração, pois uma grande quantidade de pessoas procuraram os organizadores.

“Desde o início ressaltamos a empatia pela atual pandemia, mesmo com as orientações de uso de máscara e manter o distanciamento, não temos condições de garantir que serão respeitadas. Sendo assim, nesse primeiro momento decidimos suspender o manifesto, mas estamos acompanhando o caso e colaborando com a polícia na apuração sobre o ocorrido. Estamos planejando outras ações para que o atropelamento do meu irmão não caia no esquecimento”, disse a assistente de laboratório químico, Joselaine Alves de Almeida, irmã do ciclista.

Segundo ela, a família está sofrendo muito. Seu marido, o barbeiro Guilherme Kerthe de Oliveira faz aniversário nesta sexta-feira (30). “Diante de todo meu sofrimento, a vida me deu um grande companheiro que está me amparando nessa fase. Ele sabe o quanto era ligada no meu irmão. Até  me disse que não era meu irmão, mas seria meu protetor”, disse Joselaine. “Hoje é seu aniversário e estivemos na minha sogra. Até preparou um bolo e colocou uma velinha, mas ele pediu para retirar, porque acredita que teremos outros aniversários para comemorar”, acrescentou Joselaine.

O CASO

Por volta das 17h da sexta-feira (30), o ciclista foi atingido por uma Tiguan, no cruzamento das avenidas Armando de Salles Oliveira com a Torquato da Silva Leitão, no São Dimas. Segundo a Polícia Civil, a vítima foi atingida por um Tiguan, que seria conduzido uma médica pediatra, que teria fugido do local do acidente. Horas depois, ela foi até ao plantão policial e alegou que não percebeu que seu veículo teria colidido com a vítima.

Em depoimento, a médica disse que não percebeu que seu carro poderia ter atingido o ciclista e por isso não parou. As circunstâncias sobre o caso estão sendo apuradas pela Polícia Civil.

LEIA MAIS

Cristiani Azanha

[email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

8 + sete =