Mapeamento cultural de Piracicaba tem 428 cadastros

Mapeamento integra o Sistema de Informação da Cultura (Foto: Amanda Vieira/JP)

Na última quarta-feira (12), a SemacTur (Secretaria da Ação Cultural e Turismo) divulgou que 428 cadastros foram realizados no Cadastro Municipal de Cultura entre o período de 24 de junho e 11 de agosto. O mapeamento, de artistas, agentes culturais, articuladores de cultura, técnicos e demais profissionais do setor que engloba toda a cadeia produtiva cultural da cidade, deve agilizar a eventual contratação em atividades culturais no futuro, destaca a pasta.

O inventário também deve contribuir para que recursos emergenciais externos, como a lei federal Aldir Blanc (14.017/2020), possam chegar aos artistas e espaços culturais. O cadastro foi criado para atender à meta 7 do Plano Municipal de Cultura (cadastro colaborativo gerenciado pela SemacTur para consolidar o Sistema de Informação da Cultura, como instrumento de organização e gestão da informação).

“As informações coletadas trazem um diagnóstico do cenário atual da classe. Independentemente se as pessoas vão ou não, pleitear o auxílio emergencial, o mapeamento promoverá a valorização e o reconhecimento dos nossos profissionais das artes”, disse a secretária Rosângela Camolese.

Dos 428 cadastros, aponta a SemacTur, 302 são pessoas físicas; 99 pessoas jurídicas e 27 organizações informais. Dos cadastrados, cerca de 60% atuam na área cultural há mais de 10 anos. A música aparece como setor com mais artistas cadastrados – 47%. Em seguida tem artes cênicas (32%) e cultura popular (22%). As áreas do patrimônio material, manifestações culturais com temática LGBT e assistentes culturais tiveram a menor representação, com aproximadamente 3% dos cadastros, segundo a pasta.