Marketing, tecnologia e inovação

O trabalho do setor de marketing não é apenas criar campanhas e ações de vendas, mas entender como aliar mudanças externas, bem como alterações nos cenários econômicos e nos hábitos de consumo, a possíveis estratégias e à tecnologia, a qual faz parte dos negócios e de nosso dia a dia, para alcançar inovações. O cliente, o fornecedor e os concorrentes estão conectados. Quando unem tecnologia ao marketing, as empresas conseguem trabalhar melhor suas estratégias a partir de indicadores-chave de performance. Assim, é possível analisar dados em tempo real e com mais precisão. A relação entre o marketing e a tecnologia permite gerar maior integração de dados, além de processos e softwares mais eficientes e mais fáceis de replicar e otimizar. Possibilita ainda uma visão compartilhada dos prospects, leads e clientes, o que melhora a eficiência dos processos e reduz custos. A exposição da marca, de produtos e de serviços no meio digital deixou de ser diferencial competitivo para ser necessidade das organizações. O consumidor conectado busca na internet qualquer informação que lhe possa ser útil antes de fazer uma compra. Os robôs e a inteligência artificial são realidade e estão presentes nas empresas e consequentemente na vida das pessoas, as quais já se comunicam com os robôs e, muitas vezes, nem percebem. A inteligência artificial vem sendo utilizada no atendimento aos clientes, no monitoramento de mídias sociais, no diagnóstico das personas, na análise de dados referentes à jornada do cliente. A união entre tecnologia e marketing traz benefícios para a organização e para o cliente. Por intermédio dela é possível saber quais são os problemas que estão impedindo o consumidor de ter uma melhor experiência com os serviços prestados pela empresa. Com objetivo de aumentar as vendas de roupas de marca própria, como camisetas, jeans e outros itens, as lojas de departamento da Amazon, nos EUA, de acordo com The Wall Street Journal, acrescentarão robôs, códigos QR e telas sensíveis ao toque aos provadores futuristas, as quais propiciam que os compradores solicitem mais roupas para experimentar. Ademais, elas poderão ser capazes de recomendar itens semelhantes às solicitações anteriores dos clientes. Outro exemplo de uso da tecnologia para praticar marketing e ser inovador é a Gatorade, subsidiária da PepsiCo. Preocupada em oferecer valores adicionais aos consumidores que buscam qualidade de vida, a marca lançou no mercado americano um novo adesivo, que avisa a quem estiver usando esse produto a respeito de seus níveis de hidratação, o Gx Sweat Patch. O dispositivo foi projetado para ser colado na parte interna do braço esquerdo do usuário durante um treino e conectado a um smartphone mediante um aplicativo. A partir daí, é gerado um “perfil de suor”, que permite ao usuário saber o quanto ele precisa se hidratar. O produto chega à América Latina com a ideia de aumentar a conscientização sobre a importância da hidratação no decorrer da prática de atividades esportivas. Trata-se de um acessório descartável que possibilita ao usuário determinar o referido perfil de acordo com a atividade realizada, para então poder estabelecer estratégias de hidratação personalizadas antes, durante e após o exercício. Ambos os exemplos ilustram o papel do tripé marketing, tecnologia e inovação priorizando o envolvimento do cliente e atendendo a suas necessidades. A partir desse tripé, é possível obter resultados progressivos, aumentar as vendas e conseguir destaque em meio à concorrência. Para alcançar o consumidor, é preciso compreender essa dinâmica e utilizar a tecnologia a favor das vendas da empresa. Hoje, o bom marketing deve acompanhar as mudanças externas e buscar constantemente a inovação considerando as diversas gerações e as demandas dos clientes.

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

16 − doze =