Médica que causou acidente que matou ciclista deve prestar novo depoimento à Polícia Civil

Delegado Vagner Romano deve concluir as investigações em 30 dias (Claudinho Coradini/JP)

As investigações sobre o atropelamento, que causou a morte do ciclista Anderson Cleyton de Souza, de 39 anos, estão sendo conduzidas pelos policiais civis do 1º Distrito Policial. No primeiro depoimento prestado pela médica, que conduzia uma Tiguan e colidiu com a vítima, ela relatou que chegou a ouvir o barulho em seu carro, mas que poderia ser de outro veículo. Achou que não teria causado o acidente e por isso não parou.

O delegado do 1º Distrito Policial Vagner Rogério Romano, disse que o caso foi registrado como homicídio e evasão do local do acidente. “Como a motorista se apresentou espontaneamente, não foi caso de prisão em flagrante, mas seu veículo foi periciado e aguardamos o resultado dos laudos, inclusive o necroscópico (que confirma a causa da morte da vítima). Vamos analisar também as imagens sobre as circunstâncias do acidente sobre a dinâmica do acontecimento e posterior atribuição de responsabilidade. Enfatizamos que todos os fatos serão apurados”, disse o delegado.

Romano relatou ainda que o inquérito policial sobre o caso deverá ser encerrado em 30 dias. “Testemunhas presenciais também deverão ser ouvidas em depoimento”, completou o delegado.

Nas redes sociais, circula um vídeo da ex-mulher do ciclista, que comenta o caso e pede por justiça.

A reportagem entrou em contato com a médica pelo celular, mas ela não atendeu a ligação e nem retornou a mensagem.

O CASO

A Polícia Militar identificou a médica, que dirigia uma Tiguan e teria atropelado o ciclista Anderson Cleyton de Souza, 39 anos, na última sexta-feira (23), no cruzamento das avenidas Armando de Salles Oliveira e Torquato da Silva Leitão, no São Dimas. Devido aos ferimentos, o ciclista não resistiu e a motorista teria fugido do local do acidente sem prestar socorro à vítima.

Segundo a PM, a identificação do veículo foi confirmada, por meio das câmeras de videomonitoramento do Cemel (Central de Monitoramento Eletrônico) que registrou o momento do acidente e com base nessas informações, a motorista foi localizada. “Pela placa do carro, identificamos o proprietário do veículo, que também é médico, em seu endereço antigo. O zelador do condomínio onde ele morava disse que o conhecia e tinha o telefone dele”, disse um policial militar que atendeu o caso.

Ainda conforme a polícia, por meio de conversa telefônica do próprio condomínio, ele afirmou que se mudou para outro condomínio e a esposa havia se envolvido em um acidente de trânsito. “Orientei a se apresentar ao Plantão Policial de Piracicaba, onde o aguardei para levá-lo ao delegado de plantão”, completou a o policial. Ela prestou depoimento e liberada em seguida.

ACIDENTE
A vítima, com sangramento na cabeça, foi socorrida ao HFC (Hospital Fornecedores de Cana), mas não resistiu. Naquela ocasião, Anderson ainda não tinha sido identificado, pois não portava documentos. Após ter a sua identidade confirmada no IML (Instituto Médico Legal), Souza foi sepultado nesta terça-feira(27), no Cemitério da Vila Rezende. Ele tinha duas filhas.

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

sete + 19 =