Mesatenista da equipe piracicabana é bronze nas Paralimpíadas de Tóquio

Bruna Alexandre e Danielle Rauen (direita) no torneio por equipe, em Tóquio - Crédito foto: CPB

A mesatenista Danielle Rauen, integrante da equipe piracicabana de tênis de mesa da Fran TT Training Center conquistou a medalha de bronze por equipes na manhã de quarta, dia 1º, nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, no Japão.

Danielle Rauen é natural de São Bento do Sul (SC) e faz parte da equipe piracicabana desde o ciclo paralímpico para os Jogos do Rio/2016, quando viveu e treinou no Centro de Treinamento da Fran TT, no Jardim Monumento, em Piracicaba. Ela ficou com a terceira colocação no pódio da classe 9-10 no torneio por equipes ao lado das atletas Jennyfer Marques Parinos e Bruna Alexandre. 

Para chegar ao bronze paralímpico, a equipe brasileira passou pela Turquia por 2 a 1 nas quartas de final, mas foi superada na fase semifinal pelas polonesas por 2 a 0 e ficou com a terceira colocação, repetindo o mesmo resultado alcançado nos Jogos Paralímpicos do Rio/2016. No tênis de mesa paralímpico não tem disputa da medalha de bronze.

Para a mesatenista Danielle Rauen, a equipe brasileira acreditou no trabalho todo o tempo e é um orgulho ver o que foi possível fazer em Tóquio. “Estou feliz com a medalha e grata por ser medalhista novamente.” – disse a atleta da equipe piracicabana.

Para a coordenadora do Centro de Treinamento Fran TT, Francine de Camargo Mendes, é um orgulho ter mais uma medalha dessa importância, principalmente vindo da Danielle Rauen, que faz parte da equipe paralímpica da cidade e que vem evoluindo muito através dos anos.  “Esse ciclo de Tóquio foi muito atípico, mas mesmo assim, foi possível conquistar um bom resultado.” – disse Francine.

O piracicabano Paulo Camargo, técnico de Danielle Rauen no ciclo do Rio de Janeiro/2016, disse que a atleta teve uma performance fundamental para a conquista da medalha de bronze brasileira. “Nas quartas de final, diante das turcas, ela jogou a partida decisiva e venceu por 3 a 0. A medalha de bronze do Brasil foi garantida nesse jogo.” – disse o técnico que ainda contou sobre o período em que a atleta esteve em Piracicaba:

“Tudo começou aqui em Piracicaba. Ela veio para compor a Seleção Brasileira Permanente de tênis de mesa quando ainda estava com 16 anos. Estivemos juntos em vários períodos importantes para seu aprimoramento técnico. Creio que todo esse processo foi importante para a trajetória vitoriosa da Danielle Rauen. Tenho muito orgulho do trabalho que fizemos aqui em Piracicaba.”- finalizou Paulo Camargo.

Nos Jogos Paralímpicos de Tóquio/2020, o tênis de mesa brasileiro ganhou outras duas medalhas no torneio individual com a prata de Bruna Alexandre na classe 10 e o bronze de Cátia Oliveira na classe 1-2.

Edilson Morais

[email protected]

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

cinco × quatro =