Metodista pede recuperação à Justiça do Rio Grande do Sul

Crise na Metodista se agravou a partir de 2015. (Foto: Claudinho Coradini/JP)

A Educação Metodista – mantenedora da Unimep (universidade Metodista de Piracicaba) – deu entrada, na última sexta-feira, com uma cautelar antecedente à Recuperação Judicial no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul . O grupo de educação busca a reestruturação de suas instituições de ensino superior e básica a fim de garantir sua sustentabilidade e preservar a qualidade acadêmico-pedagógica. A cautelar é um mecanismo legal que garante proteção judicial para que a instituição em dificuldades financeiras possa se reorganizar e apresentar um plano de recuperação.

Com o pedido, as instituições metodistas de educação pretendem antecipar parte dos efeitos da recuperação judicial, conservando a capacidade de operação e oferecendo proteção judicial a todos os credores.

Desde 2015, a Educação Metodista vem enfrentando uma redução significativa do número de alunos, o que provocou um forte impacto na receita e o consequente desequilíbrio financeiro.

A crise das instituições metodistas de educação teve início com a mudança nas regras do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e se acentuou com o cenário econômico de recessão dos últimos anos. A pandemia de covid-19 agravou a situação da instituição.

Diante deste contexto, o grupo educacional informou que adotou todas as medidas possíveis para reduzir perdas e preservar escolas e instituições de ensino superior. Neste sentido, a Educação Metodista optou pela recuperação judicial a fim de manter suas atividades acadêmicas.

Da Redação

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

5 + 8 =