Ministério Público investiga radares instalados em Piracicaba

Magazine é um dos cidadãos que se sente lesado pelos radares (Foto: Claudinho Coradini/JP)

O Ministério Público do Estado de São Paulo instaurou inquérito para investigar a instalação de radares em Piracicaba. O promotor de Justiça do Patrimônio Público e Social de Piracicaba, Luciano Gomes de Queiroz Coutinho, informou que ‘munícipes têm reclamado que a instalação dos equipamentos tem propósito arrecadatório em vez de visar a redução de acidentes’.

Entre as reclamações está a do funcionário público José Carlos Magazine, autor do pedido de investigação protocolado no dia 4 de fevereiro. No documento ele pede investigação a uma suposta ‘indústria da multa’ na cidade.

Magazine disse que há um radar com velocidade máxima de 60 km por hora e 20 metros depois o limite cai para 50 km por hora. “A intenção da administração não é educar é arrecadar e nós não sabemos onde está indo esse dinheiro”, afirmou.

No inquérito, Queiroz questiona a prefeitura sobre a quantidade de radares e o valor arrecadado em multas em 2020, principalmente com o radar localizado na avenida Professor Alberto Volett Sachs, próximo a COT (Central de Ortopedia e Traumatologia).
O promotor destaca em suas considerações que há uma petição pública com cerca de 3 mil assinaturas em protesto às multas aplicadas por este equipamento.

O representante do Ministério Público questiona a administração municipal sobre o número total de radares instalados na cidade, o valor arrecadado com multas em 2020 e a destinação dos recursos.

A Semuttran confirmou que recebeu os questionamentos e está providenciando as respostas. A Secretaria negou irregularidades na fiscalização do trânsito e que obedece as regulamentações do Contran (Conselho Nacional de Trânsito).

A pasta acrescentou que, desde 2008, tem desenvolvido campanhas e ações para reduzir o número de mortes no trânsito. “Em 2019 conseguiu-se a redução de 50% de óbitos ocasionados por acidentes no trânsito na malha viária urbana”, informou.

“A ONU, lançou em 2011 a proposta de redução no mundo de reduzir em 50% as mortes em 10 anos (2011/2020) decorridas de acidentes de trânsito. Piracicaba, em 5 anos (2015/2019) atingiu essa meta”, afirmou.

“Recentemente, a Guarda Municipal firmou convênio com o governo do Estado, por meio da Secretaria de Segurança Pública, para integrar o Sistema Detecta, que culminou com a instalação de 40 câmaras em 19 locais (entradas/saídas da cidade) para a leitura automática de placas”, acrescentou.

Beto Silva