Atos de Barjas causaram prejuízo ao erário público, diz MP Foto: Arquivo

O Ministério Público Eleitoral de Piracicaba propôs à Justiça ação de impugnação de registro da candidatura do prefeito Barjas Negri (PSDB). Há 15 dias o tucano foi anunciado pelo partido como candidato à reeleição. De acordo com o órgão, Barjas ‘não está na plenitude do gozo dos direitos políticos, tendo em vista que ostenta duas condenações por improbidade administrativa confirmadas em 2ª instância e foram suspensos seus direitos políticos’.

O Ministério Público acatou o pedido de impugnação apresentado pelo PL (Partido Liberal) e pelo presidente da legenda, o vereador Laércio Trevisan Jr. De acordo com o MP, o prefeito tem ‘diversas ações de improbidade administrativa em seu desfavor’. “Não bastasse, nas ações cíveis, o impugnado foi condenado pela prática de improbidade administrativa, ocasião em que foi reconhecido prejuízo ao erário público”, destacou o promotor Paulo Kishi no documento encaminhado anteontem à Justiça Eleitoral.

“Portanto, verifica-se que o impugnado não preenche os requisitos básicos previstos no artigo 14, da Constituição Federal para ser candidato, pois não goza do pleno exercício dos direitos políticos. Nesta esteira, evidente que o impugnado está impedido de participar das eleições de 2020, ainda mais como candidato a prefeito municipal, tendo em vista que no exercício do mandato praticou condutas ilícitas”, traz outro trecho do documento.

O promotor acrescentou que Barjas foi condenado pela prática de ato doloso de improbidade administrativa e foi alcançado pela Lei da Ficha Limpa, uma vez que reconhecida a ocorrência de prejuízo ao erário público. “Nós entramos com uma impugnação em 9 de setembro, a qual foi dado vista ao MP e consignado no processo de possível candidatura noticiado do candidato Barjas Negri. Já em 29 de setembro entramos com outra impugnação no processo de registro da candidatura”, pontuou Trevisan acrescentando que, agora, as ações devem ser julgadas em conjunto.

TAPETÃO
Em nota enviada à redação, a coordenação da coligação “Piracicaba Avança Mais”, afirmou que apresentará à Justiça Eleitoral defesa do pedido de impugnação do Ministério Público, por dever de ofício, e a representação do vereador de oposição Trevisan Júnior.

A coligação informou que está segura da legitimidade da candidatura de Barjas Negri. “A coligação relembra que em 2016 a oposição tentou a mesma técnica: vencer as eleições no ‘tapetão’ e a tentativa foi frustrada. A justiça prevalece”, traz a nota.

Beto Silva

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

2 × 5 =