Ministros da Defesa divulgam carta em defesa da paz nas Américas

Ministros da Defesa divulgam carta em defesa da paz nas Américas
Fonte: Agência Brasil

Ministros da Defesa de 21 países assinaram nesta quinta-feira (28) uma carta em que se comprometem a manter a paz na região e reconhecer a soberania dos países. A declaração é resultado da 15ª Conferência de Ministros da Defesa das Américas (CMDA), realizada em Brasília.

O documento classifica como “ilegítima” a invasão russa na Ucrânia e critica a atuação de grupos armados no Haiti. Apesar de mencionar a guerra da Ucrânia logo no início do documento, o trecho gerou divergência entre representantes. Canadá, Colômbia, Equador, Estados Unidos, Guatemala, Haiti, Paraguai e República Dominicana fizeram uma ressalva para reiterar “sua reprovação de maneira incisiva sobre a invasão ilegal, injustificável e não provocada da Ucrânia”.

“Os conflitos em todo o mundo, como a invasão da Ucrânia e os atos de violência exercidos por grupos armados que aterrorizam a população no Haiti, não são os meios legítimos para resolver as disputas, de modo que os Estados-Membros da CDMA, esperam uma solução tão pronto seja possível”, diz a carta.

Laços

No documento, os representantes declaram apoio às medidas contra o crime organizado e a atuação das forças militares em apoio à sociedade civil, principalmente em situações de desastres, epidemias e no fluxo migratório de pessoas. A preservação do meio ambiente e o combate às mudanças climáticas também foram pontos de destaque da carta. O ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, reiterou a importância da democracia e da liberdade. Na avaliação dele, a reunião cumpriu seu papel em fortalecer os laços entre os países com o evento presencial, com a retomada das atividades pós pandemia de covid-19.

“O compromisso dos nossos países com a democracia e a liberdade é um parâmetro que deve nortear nossas ações. Foram definidas nessa conferência as atividades a serem conduzidas na próxima edição. Já temos metas. Brasil sediará em 2023 o exercício de ciberdefesa dos estados membros da CMDA”, disse.

O anfitrião do próximo encontro, o ministro da Defesa da Argentina, Francisco José Cafiero, afirmou que “o cenário internacional incerto, desigual e complexo nos exige todos os esforços para manter o diálogo, a cooperação e os esforços mútuos”.

“Esse espaço multilateral nos permite a oportunidade de debater nossos erros e necessidades. A manutenção da paz na nossa região não é incompatível com a manutenção das nossas soberanias. Para nós, defender a paz é cuidar do futuro. Nenhum dos 34 países que compõem essa conferência está alheio à situação no atlântico sul. No século 21 não há mais lugar para o colonialismo ou para ocupações ilegais. Para nós, trabalhar unidos é a resposta mais contundente diante dos desafios”, afirmou.

Ministros da Defesa divulgam carta em defesa da paz nas Américas

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

três − um =