Mitos e verdades sobre a depilação no verão

Para aproveitar a estação mais quente do ano, o uso de filtro solar se faz ainda mais necessário | Foto: Freepik

Se você está planejando tomar sol ou curtir uma piscina nesta temporada de altas temperaturas, é importante tomar alguns cuidados ao se expor à radiação, principalmente se você for realizar algum tipo de depilação neste período.


“Com a maior incidência dos raios solares, deve-se aumentar os cuidados tanto antes quanto após o procedimento de eliminação dos pelos para evitar manchas”, explica Regina Jordão, CEO do Pello Menos, rede especializada no assunto.


A profissional listou os principais mitos e verdades sobre a remoção de pelos na estação mais quente do ano. Com a informação correta, é possível evitar imprevistos e aproveitar os momentos de folga com tranquilidade.

CERA
“Depilar com cera deixa a pele sensível”. Verdade. Como o procedimento com cera retira a camada superficial da pele, deixando a região mais sensibilizada, a exposição imediata aos raios solares não é indicada.


“Você pode se depilar no verão, sim, mas a recomendação é aguardar no mínimo 48 horas e abusar do filtro solar para tomar sol diretamente”, explica Regina.


BRONZEADOR
“Não é recomendado o uso de bronzeadores”. Verdade.
O melhor a se fazer é evitar o produto, pois o procedimento vai também remover a cor superficial da derme.


Já reparou que logo depois de depilar, a pele fica mais clara? Então, é que há essa eliminação sutil da coloração. Portanto, a aplicação de um ativo na área que já está sensível pode induzir a melanina no local, causando manchas na pele.


DESCOLORAÇÃO
“Quem não quer remover, pode descolorir os pelos no sol”. Mito. Apesar de ser comum, o hábito de se expor ao sol com o descolorante aplicado na pele não é indicado. Bem pelo contrário: é perigoso, pois pode causar manchas. É preciso, portanto, ter cuidado ao optar pelo método, preferindo água oxigenada com valor entre 10 a 20 volumes e não permanecer com o produto no corpo mais do que o tempo estipulado na embalagem. A especialista recomenda ainda fazer também o teste em uma área pequena da pele, pois descolorantes podem causar alergias.

LEIA MAIS:


LÂMINA
“Depilar com lâmina é mais fácil e exige menos cuidado”. Mito. A lâmina promove uma depilação superficial, ou seja, o procedimento terá que ser refeito em um intervalo muito menor de tempo. Este também não é o melhor método para todos os tipos de pele, além de não ser o mais recomendado para depilar as áreas mais sensíveis, como virilha e axilas.

Após depilação com cera não é recomendada exposição imediata ao sol | Foto: Freepik


Regina lembra de acrescentar à conta, ainda, que é arriscado se expor ao sol após a raspagem, pois a lâmina causa microfissuras, deixando a pele sensível e favorecendo o aparecimento de manchas.


FILTRO SOLAR
“Filtro solar é indispensável, independente do método”. Verdade. O uso do protetor solar é fundamental em qualquer dia do ano e, mesmo no inverno a incidência dos raios serem menores, a aplicação do produto é necessária. Logo após a depilação, por conta da sensibilidade momentânea da pele, a importância ganha ainda mais destaque.


“O ideal é usar um protetor solar em todo o corpo com FPS igual ou superior a 30. Já para a pele do rosto, recomenda-se um produto específico para esta região com FPS igual ou superior a 50”, avalia
a especialista.

Da Redação

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

doze + 3 =