Moda consciente é quando se respeita o meio ambiente

Foto: Pexels

Com a mudança de consciência dos consumidores, moda ecológica ou circular tornam-se melhores opções

O meio ambiente tornou-se pauta em diversas discussões, principalmente a maneira que são consumido os produtos. Com isso uma das pautas importantes em relação ao consumo da moda, afinal a indústria da moda é a segunda maior poluente do mundo, ficando atrás apenas da petrolífera, de acordo com dados disponibilizados pela Ellen MacArhtur Foundantion.
A moda pode ser bem poluidora, pois grande consumo de água para a produção das peças, segundo os dados disponibilizados pela ABIT (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e Confecção), todos os anos 175 mil toneladas de resíduos têxteis são descartados de forma prejudicial ao meio ambiente. Além disso, a utilização do poliéster como matéria-prima também preocupa, afinal, grande parte da composição do tecido é proveniente do plástico e apenas 1% é reciclado.
Ainda falando de descarte, pode-se concluir que o fast fashion, tendência que cria peças acessíveis e de uso sazonal de forma que em curto período é “descartável”. Seu descarte é na forma de incineração ou enviadas para aterros 87% das vezes.
Por fim, a pesquisa Ellen MacArhtur Foundantion indica que 60% de todo tecido produzido no mundo é destinado para a fabricação de roupas, que serão utilizadas por um curto período e, depois disso, deixadas de lado por perderem a sua usabilidade

VALIDADE

“Anos atrás, as peças eram feitas para durar Era comum encontrar roupas conservadas por anos a fio. A qualidade era diferente das peças atuais, mas os impactos ambientais para produção são praticamente os mesmos”, explica Diego Mazon, sócio-fundador da empresa de moda EMIGÊ.it.
Roupas podem ser tão duráveis quanto caras, por isso muitos consumidores buscam juntar qualidade com o valor mais em conta, afinal o Brasil está passando por uma crise econômica e de desemprego, roupas de pouca durabilidade não são tão desejáveis no momento, além da questão ambiental. Contudo esse tipo de procura é extremamente difícil, pois a maioria das empresas procura conciliar o preço barato com a dureabilidade de suas peças, assim como a moda fast fashion.

SOLUÇÕES

Para mudar esse cenário, o consumidor deve procurar por empresas as quais cumprem o seu papel social e ecológico. Para isso, será necessária a revisão de uma série de processos e na prática de novas ações, como redução do uso de recursos hídricos, reaproveitamento de efluentes, redução de uso de químicos, redução dos descartes e reuso de matérias-primas, além da compensação da emissão do gás carbônico produzido em todas as etapas de trabalho.
Se a empresa não propor essa mudança, procure se a marca tem propostas lucros a serem doados para ONGs (Organizações Não Governamentais) que trabalhem com o auxílio do meio ambiente. Essa questão vale para outros setores da moda além da têxtil, como a industria de cosméticos, por exemplo.
Outra maneira que se encaixa nesse cenário de procura por produtos duráveis e em conta, a moda circular é o que se ganha destaque. Este tipo de moda trabalha com a ideia e reutilização de materiais ou peças para serem revendidas e são os brechós se apresentam como opção fácil deste tipo de moda.

Agência Estado

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

três × dois =