Moradores do Bela Vista, na região do Vila Sônia estão preocupados com uma ponte na eminência de desabar na rua Antônio Longato. O asfalto que cobre a madeira está rachado e existe o perigo de passar tanto na rua como na calçada (tomada, inclusive, por mato e parcialmente deteriorada, de ambos os lados).

Eles procuraram o Jornal de Piracicaba para cobrar o Poder Público do início das obras no local. A Semob (Secretaria Municipal de Obras) apenas informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que “fará nova avaliação”. Segundo Maria Antonia Paes, moradora do Bela Vista, ela já registrou um pedido de reparo junto à Prefeitura, via 156. “Foi há cerca de uma semana, quinze dias. Desde então, uma equipe da Prefeitura veio e apenas passou uma fita de isolamento na calçada”, relata.

A Semob foi questionada pela reportagem sobre a primeira avaliação do latente problema estrutural na ponte, no entanto, nada respondeu. “Nós, moradores, precisamos passar diariamente por ali, para ir à padaria, por exemplo. Dá medo, porque também tem criança que passa ali e não sabe do perigo”, relata a moradora.

Maria Antonia conta que reside há seis meses no Bela Vista e, segundo moradores mais antigos, o local nunca teve um problema “sério”, ela relata, como este. “É uma rua onde também passa muitos carros e eles passam correndo. Passa, inclusive, caminhões. Sem uma posição da Prefeitura, sobre a gravidade da situação ou não, tememos que ela desabe”.

Com a fita de isolamento colocada no entorno da ponte pela Semob há algumas semanas, os pedestres precisam cruzá-la pela rua. “Tem o isolamento dos dois lados”, destaca Maria Antônia. “Se vem carro, espero passar para cruzar, mas tem gente que atravessa no canto, mesmo se passa carro junto. É um perigo”.

Ela conta, ainda, que, enquanto a Prefeitura não resolve o problema, os moradores buscaram um cone para poder colocar nos buracos nas deformidades do asfalto. “É um modo que pensamos para ao menos sinalizar que, ali, é perigoso e não deve passar. Precisamos demais que a Prefeitura resolva esse problema no bairro”, desabafa Maria Antonia.

A Semob também foi questionada sobre recomendações à população para evitar acidentes no local, mas também não respondeu.

Erick Tedesco

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

16 − 5 =