Morar no exterior e dar aulas de língua estrangeira on-line

Com o desemprego em alta, brasileiros que moram fora do País veem no ensino de idiomas uma nova carreira. (Foto: Pexels)

Em 2020 a pandemia fez com que o brasileiro praticamente ficasse em casa. Com isso muitos hobbies feitos ao ar livre como esportes e algumas atividades artísticas tiveram que ser canceladas, além disso, empresas adiantaram férias de funcionários para que não fosse necessário demitir os empregados. Isso deixou muita gente com tempo livre e permitiu que novas atividades fossem iniciadas, principalmente, a de começar um novo curso seja de empreendedorismo, culinária ou até aprender uma nova língua.

Os cursos on-line continuam em forte tendência mesmo após um ano do início da covid -19 no País. Por oferecerem flexibilidade e acontecerem no conforto do lar do aluno, as aulas à distância estão conquistando cada vez mais pessoas.

Segundo a Abed (Associação Brasileira de Ensino a Distância), entre os anos de 2018 e 2019, existiam cerca de 1.800.000 alunos brasileiros matriculados em cursos EAD. Hoje, com a melhora e a quantidade das plataformas de vídeo chamadas, o formato de aulas on-line tem feito cada vez mais parte da vida das pessoas – em especial, os cursos de idiomas.

“Antes eu fazia questão de ir até uma escola para estudar. Achava que as aulas online não funcionavam”, diz Meire Costa, aluna de espanhol. “Durante a pandemia não teve jeito e eu tive que me acostumar com as aulas à distância. Agora não penso mais em voltar às aulas presenciais”, conta Meire.

Atentos nessa tendência, muitos profissionais brasileiros desta área e que moram fora do Brasil, estão apostando em um modelo de ensino remoto bem mais profissional para que possa atender essa nova demanda. Ensinar alunos brasileiros em uma distância tão grande não é fácil, contudo, tornou-se uma opção de trabalho para muitos brasileiros no exterior. Mariza Gottdank, fundadora da marca Dank Idiomas, conta que, durante a pandemia, muitos brasileiros no exterior ficaram sem trabalho e buscaram alternativas. “Sendo fluente no idioma e tendo paixão por ensinar, é uma excelente opção de negócio para trabalhar em casa” explica Gottdank.

Um exemplo disto foi a de Luciana de Souza, professora de inglês e mora em Vancouver, Canadá.

Luciana, que já era professora de inglês aqui no Brasil, resolveu deixar suas aulas presenciais e de pedagogia antiquada para adquirir uma franquia de idiomas que oferece estrutura para aulas online. “Os recursos online são maravilhosos e os alunos não perdem em nada. Além disso, a oportunidade de conectar- -se com pessoas de vários lugares e troca de experiências também é outro fator positivo, que de outra maneira não seria possível.” Relata.

Cursos on-line agora são a tendência e a forma mais segura contra o coranavírus de aprender. Para Luciana atualmente viivemos em época de “mudanças e adaptações e atividades online fazem parte disso. Pessoalmente, é uma grande adaptação e desafio por procurar um maior engajamento virtual com os alunos”.

Larissa Anunciato
[email protected]

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dois × um =