Morre Ricardo Sanches, ex-comandante da GC de Piracicaba

Ricardo Sanches revolucionou a Guarda Civil (Reprodução)

Morreu nesta sexta-feira (28), aos 77 anos, o ex-comandante da Guarda Civil de Piracicaba, Antonio Ricardo Sanches. Seu corpo será velado com honras municipais, na sede da Guarda Civil Municipal até às 16h de sábado (29), e depois segue para o Crematório da cidade.

Sanches estava com uma doença renal crônica há nove anos e fazia hemodiálise. Estava internado no Hospital da Unimed, em decorrência de uma infecção generalizada, mas sofreu um choque séptico e morreu, por volta das 20h.

Nascido em Resplendor, MG, Ricardo Sanches construiu sua história em Piracicaba, que o reconheceu com o título de Cidadão Piracicabano, outorgado pela Câmara de Vereadores, em 2008. Foi jogador de futebol, atletismo e de basquete pelo XV de Piracicaba. Serviu o Exército em Brasília foi Policial Rodoviário, presidente da Defesa Civil de Piracicaba e Comandante da Guarda Civil Municipal, além de secretário de Segurança, Trânsito e Defesa Civil de Santa Bárbara d´ Oeste, e um dos fundadores da Guarda Civil de São Pedro.
Na corporação da Guarda Civil de Piracicaba, criou o Grupo de Proteção às Escolas de Piracicaba, o Pelotão de Proteção Ambiental, o Grupamento Feminino, o Pelotão de Patrulhamento Rural, o Grupamento Ciclístico e Motociclístico, o Museu da Droga, a banda da Guarda Civil, o Canil e o Centro de Treinamento e Aperfeiçoamento. Também foi o responsável pela padronização da cor azul-marinho para a Guarda.

A atual comandante da GC de Piracicaba, Lucineide Aparecida Maciel Corrêa fez parte do primeiro Pelotão Feminino, em 1992. “Entramos na corporação em um momento que existiam poucas mulheres. Deixou um legado que serve como referência para outras instituições. Ele deixa muitas saudades”, afirmou Lucineide.

A GC de classe distinta Vilma Carvalho de Souza foi secretária de Sanches na GC. “Fomos muito acolhidas pelo Ricardo, que sempre se posicionou com muita firmeza. Uma pessoa educada e sempre positiva”, disse Vilma.

O subinspetor Canova afirmou que Sanches foi um visionário. “Ele revolucionou a Guarda”, comentou.

A jornalista e filha, Cristiane Sanches disse que seu pai lutou o bom combate. “Meu pai foi um homem que dedicou parte de sua vida e talento a serviço de Piracicaba”, desabafou Cristiane.

Cristiani Azanha

[email protected]