Mulher denuncia ex-marido por violência psicológica e ameaças

Caso será apurado pelas policiais da DDM (Amanda Vieira/JP)

Uma assessora de 31 anos foi agredida e ameaçada de morte pelo ex-marido que não aceita o final do relacionamento de seis anos. A Guarda Civil esteve na casa da vítima, no Castelinho, na noite desta segunda-feira e o suspeito, um pensionista de 40 anos foi preso. A mulher alegou à Guarda Civil, que também sofre violência psicológica e alega que foi agredida outras vezes, chegou a registrar o boletim de ocorrência, mas não requereu medida protetiva para o afastamento do agressor.

Segundo o boletim de ocorrência, os GCs foram avisados sobre um caso de violência doméstica, por meio da Central da corporação, quando chegaram até a casa da vítima, encontraram-na acenado aos agentes da janela da residência. Os guardas entraram na casa e localizaram o suspeito, que estava muito nervoso e alegou que apenas discutiria com a esposa. Os guardas foram até ao banheiro do quarto do casal, onde a mulher foi localizada. Ela disse que estava naquele cômodo para procurar abrigo, pois teria sido agredida por tapas e reiteradas ameaças de morte. A vítima alegou que seu companheiro não aceita o término do relacionamento. Afirmou ainda, que apenas o filho do casal de 4 anos estava no interior da residência durante a confusão.

A assessora acrescentou que vem sofrendo violência física e psicológica por parte do marido há vários meses que não aceita o final do casamento. Ela desabafou aos agentes que foi motivada pela violência e agressividade do companheiro, pois a convivência ficou insuportável. Visto que, o marido também consumia bebida alcoólica e também faz uso de medicamento controlado.

Os guardas constataram que a vítima não aparentava nenhuma lesão e esclareceu que não achou necessário passar por atendimento médico. Diferente das vezes anteriores, a mulher decidiu representar criminalmente contra o agressor. Ele foi conduzido ao plantão policial, onde foi autuado em flagrante sob acusações de ameaça e lesão corporal.

Cristiani Azanha

[email protected]