Mulheres com câncer tem consulta sem custo para congelar os óvulos

O Centro de Reprodução Humana de Piracicaba oferece consulta sem custo para mulheres com câncer que precisam preservar a fertilidade, por meio do congelamento de óvulos. “Nosso objetivo é agilizar o atendimento das pacientes que recebem o diagnóstico da doença, estão em idade fértil e precisam ter alternativas para que possam tentar realizar o desejo de ser mãe no futuro, após a cura”, afirma o ginecologista Paulo Padovani, diretor do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba.

A equipe da clínica está preocupada com a qualidade de vida destas mulheres após a superação da doença. Estudos comprovam que, com o avanço da medicina, muitos tipos de câncer, tratados em estágios iniciais, têm cura. O câncer de mama, por exemplo, tem 95% de chance de cura quando diagnosticado precocemente.



Padovani explica que a quimioterapia e a radioterapia, que servem para destruir as células malignas e eliminar o câncer, podem fazer com que exista a perda do ciclo menstrual, além da destruição total ou parcial da reserva de óvulos. Mulheres que precisam remover os órgãos reprodutivos, por meio de cirurgia, também ficam estéreis. “Por isso, insistimos na importância da preservação da fertilidade destas pacientes e facilitamos o acesso ao tratamento”, declara.

No Centro de Reprodução Humana de Piracicaba __ instalado no Hospital Santa Isabel, graças a uma parceria com a Santa Casa de Piracicaba___, após a consulta, as pacientes com câncer são encaminhadas para atendimento por meio do Projeto Realize. A modalidade oferece tratamento de alta complexidade, que inclui o congelamento de óvulos, a um custo reduzido, calculado individualmente, de acordo com o perfil social.

Parceria reduz custo com medicamentos

O Centro de Reprodução Humana de Piracicaba também firmou parceria com a biofarmacêutica Ferring e alguns medicamentos utilizados para induzir a ovulação são disponibilizados gratuitamente a estas pacientes.

A iniciativa foi possível por meio do Proteger, um programa de responsabilidade social da Ferring que visa preservar a fertilidade em pacientes oncológicas.

Como a fertilidade é preservada?

A fertilidade destas mulheres pode ser preservada por meio do congelamento de óvulos. De acordo com o médico Paulo Padovani, o tempo entre o diagnóstico do câncer e o início da quimioterapia ou da radioterapia costuma ser suficiente para coletar e congelar os óvulos.

Após estimulação ovariana, os óvulos são extraídos na clínica de reprodução humana, armazenados e congelados em nitrogênio líquido a menos 196 graus, geralmente pela técnica de vitrificação.

Após ter superado a doença, a paciente que congelou óvulos deve seguir a orientação de seu oncologista sobre o prazo de espera para tentar uma gravidez. “Quando a mulher estiver liberada e decidir que é o momento de ter filhos, os óvulos serão descongelados e fertilizados in vitro”, informa Padovani.

No Centro de Reprodução Humana de Piracicaba, os óvulos descongelados são fertilizados in vitro por meio da ICSI, a injeção intracitoplasmática de espermatozoide, na qual um único espermatozoide, selecionado em laboratório, é injetado dentro do óvulo utilizando uma agulha de extrema precisão, para que ocorra a fertilização. A técnica tem performance superior à FIV convencional.