Mulheres + vendas = sucesso

Foto: Pexels

Pesquisa aponta que mulheres tem 11% a mais de chances que os homens de conseguir fechar uma venda

A desigualdade de gênero traz desafios enormes para mulheres seja nos salários mais baixos, no preconceito na hora de escolher um candidato para a vaga e na inserção de trabalhadoras em setores ou cargos normalmente ocupado por homens.

No âmbito da economia feminina, por exemplo, as mulheres ocupavam apenas 37,7% dos cargos gerenciais e recebiam, em média, 77,7% dos salários dos homens, de acordo com uma pesquisa realizada em 2019 e divulgada em março de 2021 pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas). Uma pesquisa da empresa de vendas Xactly. Segundo o levantamento de 2019, as vendedoras norte-americanas ganham 77 centavos de dólares para cada dólar que um vendedor homem ganha.

O chamado ‘gender pay gap’, algo como ‘disparidade de salários entre gêneros’ em português, é uma tendência de praticamente todos os setores da economia.E a realidade do mercado de vendas chama a atenção, já que estudos como o realizado pela companhia de inteligência de mercado Gong, apontam que as mulheres conseguem fechar negócios mais rápido do que os homens.

A pesquisa também explica que, em consideração os estágios iniciais, as mulheres têm 54% de chance de levar uma conversa comercial para o patamar adiante, enquanto os homens têm 49%. Por último, elas também conseguem taxas de sucesso nas vendas que são até 11% maiores (na média) do que eles.

A realidade apontada pelas pesquisas sugere que pessoas do sexo feminino conseguem se sobressair nas vendas, apesar dos desafios que ainda devem ser superados, como a diferença salarial e o machismo.

Maucir Nascimento, especialista em vendas e marketing afirma que, apesar de as características de um bom vendedor poderem ser encontradas em qualquer pessoa, mulheres conseguem ter uma inteligência interpessoal mais natural do que os homens. “Gestores que contratam homens em detrimento de mulheres pelo único fator do gênero, não levando em consideração a questão meritocrática, estão perdendo grandes oportunidades. Eles estão deixando de lado profissionais que conseguem lidar com uma riqueza incrível de pensamentos e opiniões, que são maleáveis e têm uma sensibilidade fora do comum”.

Marina Ribas conta que sempre teve uma autocrítica muito grande, já que sentia que justamente precisava se destacar mais do que os homens. Com Ensino Superior e tecnólogo em Marketing. Ela argumenta que nos lugares onde trabalhou, sempre sentiu que as mulheres poderiam alcançar melhores resultados com vendas. Ela diz que fatores como a determinação e força de vontade são diferenciais que fazem com que pessoas do gênero feminino se destaquem na área. Grávida e prestes a dar à luz, a profissional diz que a força feminina é essencial para quebrar barreiras e passar por dificuldades no ambiente de trabalho. “É preciso acreditar em si mesma, se identificar com a empresa que você está, sonhar alto, lutar por isso, estudar sempre e filtrar conselhos de outras pessoas”, recomenda Marina para outras mulheres que estão começando nas vendas.

Larissa Anunciato
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

onze + 10 =