Multa para quem não aceitar vistoria da dengue é de R$ 1.141

Foto: Prefeitura de Piracicaba

Viaturas da Guarda Civil vão acompanhar os agentes de saúde nas vistorias: segurança para todos

A partir desta semana os agentes do PMCA (Programa Municipal de Controle do Aedes), que vistoriam a área externa das residências, vão contar com o apoio de viaturas da Guarda Civil durante os serviços de inspeção. A medida, segundo a Secretaria de Saúde, é para oferecer mais segurança tanto para os moradores, que muitas vezes se sentem inseguros com estranhos batendo à sua porta, quanto para os profissionais de saúde. Nesta quinta-feira (7), os bairros atendidos serão Jardim Caxambu, Jardim Elite, Verde, Campestre e Jardim Califórnia.

Conforme relata o coordenador do PMCA, Sebastião Amaral Campos, o Tom, os agentes do PMCA enfrentam dificuldades para realizar a vistoria da área externa das residências para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão de doenças como dengue, zika e chikungunya. Com o acompanhamento da GC, o objetivo é que os munícipes fiquem mais tranquilos para permitir a entrada dos agentes.

“Neste ano as recusas para entrar na residência aumentaram. Por estarmos em um contexto de pandemia e também de crise econômica, a população fica mais estressada e receosa, com medo de assaltos, por exemplo, porque indivíduos mal intencionados podem tentar se passar pelos agentes. Mas também estamos observando aumento significativo dos casos de dengue. Então com a ajuda da Guarda Civil esperamos que a população deixe os agentes entrarem, porque eles são as pessoas mais preparadas tecnicamente para orientar sobre como eliminar os criadouros do mosquito”, afirma Campos, que lembra que os munícipes que não permitirem a vistoria por parte dos agentes receberão notificação e, caso persistam na recusa, receberão auto de infração no valor de R$ 1.141,00.

Para o comandante da Guarda Civil, Sidney Miguel da Silva Nunes, a parceria com o PMCA é muito importante para proporcionar mais segurança e credibilidade nas ações casa a casa frente à população. “Por isso nos colocamos à disposição para acompanhar todo o trabalho casa a casa, de abordagem e orientação, dando celeridade ao processo de informação e fiscalização dos possíveis criadouros do Aedes aegypti”, avalia o comandante.

CASOS
Neste ano, até a sexta-feira, 1º/10, Piracicaba já registrou 5.275 casos de dengue, enquanto que no mesmo período de 2020 e 2019, respectivamente, foram registrados 1.332 e 4.078 casos. Os dados são da Vigilância Epidemiológica.

“O mosquito transmissor da dengue é intradomiciliar, então está dentro das residências, por isso é fundamental a vistoria dos agentes do Programa Municipal de Controle do Aedes, além da manutenção rotineira por parte dos moradores para eliminar possíveis criadouros”, reforça Campos.

AGENTES
O trabalho dos agentes no controle de possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti no Município é pautado na segurança e confiança da população. Mesmo antes da parceria com a GC, o coordenador do PMCA lembra que os agentes do programa nunca atuam sozinhos e sempre estão devidamente identificados com uniforme e crachá, assim como os veículos da prefeitura e da empresa terceirizada são identificados. Os agentes realizam a vistoria apenas na área externa das residências e usando máscara, em prevenção à covid-19.

Fernanda Moraes
[email protected]

LEIA MAIS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezenove − 1 =