Na fase amarela do Plano SP, Região de Piracicaba fica ‘ilhada’

0
2.243 views

A Região de Piracicaba é uma das três que avançaram para a fase amarela do Plano São Paulo de enfrentamento da covid-19. A 23ª reclassificação foi anunciada ontem pelo governo paulista. Municípios em áreas dessa fase podem permitir 40% de ocupação em academias, salões de beleza, restaurantes, cinemas, teatros, shoppings, concessionárias, escritórios e parques estaduais, com expediente de até dez horas diárias para restaurantes e 12 horas para as demais. O atendimento presencial deve ser encerrado às 22h em todos os setores. Nos bares, as portas fecham mais cedo, às 20h. Eventos que geram aglomeração, como festas, baladas e shows continuam proibidos.

A piora nos índices de avanço do coronavírus no interior deixa as áreas de Marília e Ribeirão Preto na fase vermelha, com restrição total de comércios e serviços não essenciais. Permanecem nessa fase as regiões de Araraquara, Barretos, Bauru e Presidente Prudente.

Campinas, Grande São Paulo, Registro e Sorocaba regrediram para a fase laranja, que também abrange Franca, São José do Rio Preto, São João da Boa Vista e Taubaté. Houve melhora na região de Piracicaba, que avançou para a fase amarela, onde permanecem Araçatuba e Baixada Santista. A nova reclassificação começa a valer a partir de segunda-feira .

FISCALIZAÇÃO

A Prefeitura de Piracicaba informou que a força-tarefa que reúne o Cevisa (Centro de Vigilância em Saúde), Guarda Civil e fiscais da Secretaria Municipal de Finanças, com apoio da Polícia Militar, continua com as operações de fiscalização no município, que visam, principalmente, evitar eventos que geram a aglomeração de pessoas. De acordo com o secretário de Governo, Carlos Beltrame, mesmo na fase amarela, as ações vão continuar, respeitando o decreto. “Nossas ações são sempre orientativas e o nosso foco é nas aglomerações, onde está o grande perigo”, afirmou.
Ainda de acordo com Beltrame, o trabalho de fiscalização é intenso e constante e tem surtido efeitos positivos. “O trabalho de fiscalização tem funcionado. Festas que geravam aglomeração e aconteciam todos os fins de semana cessaram”. Denúncias de aglomerações podem ser feitas pelos telefones 156 (SIP) e 153 (Guarda Civil).

Beto Silva

[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

nove + 16 =