Nasce um novo Palmeirão

Otávio Spigolon e Miguel de Carvalho, na nova sede do Palmeirão - Crédito foto: Alessandro Maschio

A história do Clube de Regatas Palmeiras de Piracicaba começou a ser escrita na década de 20, na mesma área onde hoje está instalada sua sede, no bairro Cidade Alta. Neste espaço, onde havia apenas um campo de futebol social, o então Palmeirinha era o local utilizado pela garotada para as partidas de futebol e os momentos de lazer.

Com o passar das décadas, entre os anos 50 e 70, o Palmeirinha ganhou fama de equipe amadora de futebol e o clube passou a contar com um esquadrão poderoso que conquistava títulos em competições organizadas em Piracicaba e região. Alguns dos futuros craques do futebol brasileiro vestiram a camisa do Palmeirinha e frequentaram o antigo campinho, como foram os casos de Antônio Wilson Honório, o Coutinho, inesquecível parceiro de Pelé, no Santos, entre os anos de 1958 a 1967 e do ídolo do São Paulo, Francisco Jesuíno Avanzi, o Chicão.

No Desafio ao Galo, criado pela TV Record em 1972, e que se tornou um dos mais prestigiados eventos do futebol de várzea da capital paulista, o time do Palmeirinha teve participação histórica, mantendo-se invicto por 12 partidas consecutivas.

Nesta mesma época, o campo de futebol se transformou num clube social com oito mil metros quadrados e que por décadas foi a referência como um dos melhores e mais badalados da cidade e região.

Em seu auge, o Palmeirão chegou a ter 2.500 associados, que usufruíam de amplos espaços de lazer com grandes eventos sociais e culturais, com os concorridíssimos Bailes do Hawaí e do Carnaval, de onde saía uma escola de samba que desfilava pelas ruas da cidade. Em sua sede, na rua Bernardino de Campos, artistas como Moacyr Franco, Jessé e Demônios da Garoa, fizeram sucesso entre os frequentadores.

A filosofia voltada para o desenvolvimento esportivo sempre esteve entre as prioridades das diretorias do clube, principalmente com o Karatê, que foi responsável por incontáveis medalhas conquistadas por seus atletas, enquanto defendiam a cidade de Piracicaba em competições estaduais, nacionais, Jogos Regionais e Jogos Abertos. O atual coordenador técnico da Seleção Brasileira de Karatê, Diego Spigolon, aprendeu os seus primeiros golpes aos cinco anos de idade, nas aulas ministradas no clube.

Com o passar dos tempos, o glamour deu espaço às dificuldades financeiras, já que aos poucos, os frequentadores sumiram do quadro associativo. Apesar dos enormes desafios e dos esforços das diretorias anteriores, o clube chegou ao seu limite e, nos últimos oito anos, a situação piorou e tornou-se insustentável manter as portas abertas e a manutenção de suas estruturas.

De olho no futuro

Para manter viva a história do Clube de Regatas Palmeiras, que nasceu da união do Clube de Regatas de Piracicaba e a Sociedade Recreativa Palmeiras, e assim, garantir o legado de lazer e entretenimento para as futuras gerações de Piracicaba, uma nova área foi adquirida num terreno com 38 mil metros quadrados, localizada no bairro Água Branca. A proposta é criar um clube num estilo de Resort, com um projeto arrojado e moderno e que possa garantir a sobrevivência financeira do clube, sem a dependência da contribuição mensal do associado.

O presidente da diretoria executiva, Otávio José Spigolon, explica que a proposta é montar um balneário com parque aquático, restaurante, quiosques e amplas áreas arborizadas para o convívio familiar. “Esse conceito atual de associado está ultrapassado. Em nossas novas instalações, a população vai ter acesso ao espaço ao pagar uma taxa para utilizar as estruturas do clube.” – disse o presidente, que ainda falou das propostas para o futuro:

“Além disso, serão construídas áreas para um amplo Salão de Festas e outro para um Buffet Infantil. A ideia com tudo isso é inaugurar novas opções para a locação e a geração de renda e assim manter a manutenção de nossas estruturas.” – ressalta Spigolon.

O presidente do conselho deliberativo, Miguel Carmo de Carvalho, explicou que o planejamento para as novas estruturas, incluiu a construção de uma escola particular, onde será possível oferecer um ensino diferenciado e com foco para a educação ambiental, aproveitando a ampla área verde do local. “É um modelo novo de clube social, sustentável e com espaços compartilhados. A cidade de Piracicaba vai ser a grande beneficiada com tudo isso.”

Ampliação da área

Com a venda da atual sede e a aquisição de um novo espaço, o clube amplia sua área dos atuais oito mil para 38 mil metros quadrados. O novo clube deve estar funcionando com sua capacidade total em meados de 2024.

Venda concluída

O atual terreno do clube foi vendido por R$ 13 milhões para a Rede de Supermercados Tauste, de Marília. A área será entregue em definitivo no mês de dezembro.

Edilson Morais

[email protected]

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

13 + cinco =