Natalia aprova estreia em 2019

Natalia Brozulatto fez boa luta nos Emirados Árabes (Foto: Líder Esportes) Natalia Brozulatto fez boa luta nos Emirados Árabes (Foto: Líder Esportes)

A vitória ainda não veio, mas na primeira competição oficial da temporada 2019, a karateca Natalia Brozulatto já deu sinais de evolução. No último fim de semana, a atleta que representa o Exército Brasileiro e a equipe piracicabana Sport Way/Selam disputou a etapa de Dubai da Liga Mundial, nos Emirados Árabes.

A lutadora piracicabana acabou eliminada após empatar por 1×1 com a experiente chinesa Lingling Tang, em duelo válido pela categoria -68 kg. No critério de desempate, a arbitragem apontou 3×2 para a asiática, que avançou no certame.

“A Natalia fez uma boa luta contra uma adversária que está na categoria há bastante tempo. Mas a chinesa vem em bom ritmo, participando de todas as etapas, e não teve a carreira pausada como foi o caso da Natalia (duas gestações). Aqui (Dubai), ela disputou o bronze, não é uma atleta qualquer. Foi uma luta muito consistente, a Natalia conseguiu se impor em alguns momentos, pressionou e foi consistente”, elogiou o treinador da seleção brasileira e da equipe de Piracicaba, Diego Spigolon, que além de técnico, é marido da lutadora.

O encontro nos Emirados Árabes foi o segundo entre a brasileira e a chinesa. No Campeonato Mundial de 2014, realizado na Alemanha, Natalia levou a melhor sobre a oponente.

Desta vez, o embate terminou empatado com golpes contabilizados simultaneamente. Na bandeirada, a arbitragem deu o triunfo para Tang.

“Foi uma luta amarrada, qualquer uma poderia ter vencido. A chave estava interessante, cruzando o caminho da Irina (Zaretska), do Azerbaijão, atual líder do ranking mundial, o que poderia abrir caminho ao menos para a repescagem e assim garantir pontos importantes”, disse Spigolon.

CALENDÁRIO

A próxima competição de Natalia está agendada para março, na Áustria. A karateca saiu de Dubai feliz com o desempenho, mas ciente de que precisa evoluir.

“O nível é altíssimo e tenho consciência da dificuldade. Fiquei feliz por conta da boa luta que fiz, mas preciso melhorar, ganhar mais lutas e não repetir os erros para ser medalhista em breve. Ainda estou me adaptando ao novo regulamento, com três minutos de luta. Preciso manter a potência e lutar com bastante vigor”, finalizou.

Líder Esportes