Neste domingo 8 de maio, mães revelam o que a maternidade mudou em suas vidas

(Foto: Amanda Vieira/JP)

Nenhuma das entrevistadas falou em receber algo por ser mãe, doar e fazer pelo filho é unanimidade

Uma coisa chama atenção na definição do que é ser mãe para as mulheres ouvidas pela reportagem, nesta semana. As definições incluem sempre os verbos ser, fazer, ter. Para elas, a ações devem sempre partir delas para os filhos, nenhuma se referiu como recebedora de algo na relação da maternidade. Para a nutricionista Tânia Regina Nobile, ser mãe está muito além do gerar uma vida e a relação tem efeitos eternos. “Não é simplesmente gerar uma nova vida, é desenvolver laços que não se cortam com o cordão umbilical, são laços de afeição, de dedicação, desprendimento, são laços eternos”, define.

O filho de Tânia, o vendedor, Pedro Luis Nobile Fazanaro Rosa, avalia que ser filho ser filho é ter a dádiva de ter uma mulher maravilhosa como inspiração. “Ser filho é poder ter uma melhor amiga, uma confidente, alguém que te aceita como você é, ser filho é a maior riqueza do mundo”, comemora.

Para algumas mulheres, a maternidade mudou o sentido da vida; mudanças de planos, de direção, sentimentos. Foi assim para a autônoma Jacqueline Mendes Barbosa, mãe da pequena Maria Clara, de seis anos. “É preciso ser brava na hora que precisa, chamar a atenção quando é preciso e amar incondicionalmente essa criança maravilhosa”, conta emocionada.

A confeiteira Bianca Novais Santos resume mãe como amor, carinho, companheirismo, aconchego, lar, enfim o verdadeiro amor é o amor de mãe.

Mãe de dois filhos, a psicóloga Munique Brandão avalia que não consegue se ver sem ser mãe. Ela fala da mudança que a maternidade causou em sua vida e destaca a resiliência, como uma das principais conquistas junto á maternidade. “Ser mãe significa tudo, não consigo imaginar a minha vida sem filhos, eles me fizeram ser muito mais potente, me ensinaram muitas coisas e, sobretudo, me ensinaram sobre resiliência, e força”, afirma.

A experiência também mudou a vida de Gleice Sandileuza Muller. “Significa entrega, eu não tinha noção do poder dessa palavra até ser mãe”, constata.

Neste Dias das Mães, a deputada Professora Bebel (PT), que é mãe de Maria Manuela, 12 anos, disse que as mães são exemplos de carinho, afeto, força, ternura e amor. “Somos inteiramente amor pelos nossos filhos e filhas, mas nos tornamos guerreiras para defendê-los de todo e qualquer perigo”, aponta.

A aposentada Antonia Mariano Amaral, chama a atenção para o fato de o amor de mãe ser grande o suficiente para se estender aos filhos dos filhos e dos netos. “Eu tenho tenho seis netas e seis bisnetos, eles são tudo na minha vida”, afirma.

Já a dona de casa, prefere não buscar explicações para o que é ser mãe e classifica como um dom de Deus.

Beto Silva
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

cinco × 1 =