No home office se trabalha mais

Importante saber se os funcionários têm ergonomia no ambiente em que trabalham. Foto: Pexels

Instituto DataSenado apontou que 80% das pessoas estão trabalhando além de sua rotina normal

Em edições passadas, a Revista Arraso falou sobre as vantagens e desvantagens de trabalhar em casa, mas que as desvantagens estavam afetando muito mais a saúde mental do trabalhador do que qualquer recompensa que as empresas estão ofertando.

Conforme artigo da Forbes, o Instituto DataSenado apontou que 80% das pessoas estão trabalhando além de sua rotina normal. Já em relação às reuniões online, segundo dados da Kantar, teria ocorrido um aumento de 220%. Somado a isso, 8,3% seria a porcentagem de aumento de e-mails enviados fora do horário de trabalho, conforme estudo da Harvard Business School.

Ainda apontado pesquisas, de acordo com a Agência Brasil, a Associação Brasileira de Psiquiatria identificou a “fadiga do Zoom” — aplicativo de videoconferência, muito popular durante a pandemia.

Em seu estudo, a Associação entrevistou psiquiatras associados e destes, 56,1% relataram ter recebido reclamações de pacientes sobre excesso de trabalho por videoconferências, o que também se relaciona a maiores níveis de estresse e pior qualidade de vida.

Com isso, as empresas estão começando a procurar soluções em que haja um equilíbrio entre o bem estar do funcionário e sua produtividade mesmo que distante.

Para isso, além da adequação do trabalho, uma das soluções apontadas foi o kit boas-vindas, que se trata de itens que possam dar apoio ao trabalhador, que inicia suas atividades em home office. Por isso, empresas podem usá-lo exatamente porque contam com itens neutros, que atendem aos diversos segmentos e visam proporcionar conforto, segurança e condições para que a pessoa possa realizar seu trabalho em home office; sem comprometer a produtividade de sua organização.

Outro aspecto que as empresas precisam se preocupar, além de exagerar nas funções dos trabalhadores, é com o a com a ergonomia do trabalho home office, ou seja, se seus funcionários têm conforto e condições adequadas de atuação profissional em sua casa.

Para se ter idéia da importância dessas adequações, segundo a Sociedade de Reumatologia, a dor nas costas, por exemplo, atinge cerca de 65% a 80% da população mundial, algo que pode ser agravado por uma má posição durante o trabalho.

Por fim, não é que o funcionário está em casa que a empresa não precisa zelar pela segurança e privacidade de seus contratados. Especialmente quando houve uma aumento de 400% de ciberataques desde o início do isolamento, de acordo a Veja, a segurança de informações e imagens faz-se necessária; especialmente quando tantos colaboradores participam de videoconferências diariamente. Procurar um serviço de segurança antivirus para os computadores dos funcionários ou, se possível, proporcionais computadores empresariais para só uso do trabalho são boas medidas de possíveis ataques.

Diante de tantos aspectos desafiadores causados pela pandemia, como a organização do trabalho e a manutenção da saúde dos funcionários, as empresas se veem com uma nova responsabilidade. Afinal, têm obrigação de implementar ações e oferecer suporte para o combate à COVID-19.

Para isso, há diferentes estratégias que elas podem implementar, inclusive com o uso do brinde, para manter os colaboradores motivados e protegidos, sem comprometer sua força de trabalho.

Larissa Anunciato
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

18 − oito =