No mês da volta à aulas Procon dá início a operação de fiscalização dos preços com dicas ao consumidor

Foto: Alessandro Maschio/JP

Veja as dicas do órgão de proteção ao consumidor para não ser lesado durante e no pós-compra

Algumas papelarias da cidade estão anunciando preço promocional para materiais escolares, concedendo desconto de até 30% e o Procon Piracicaba está de olho nessas vendas. O órgão divulgou ontem (terça-feira) o início da Operação Material Escolar, que segue com visitas aos corredores comerciais até o próximo dia 31. A operação tem caráter orientativo e, em caso de descumprimento do Código de Defesa do Consumidor, o estabelecimento será autuado. Diferente do que vem anunciando alguns varejistas, a expectativa da Abfiae (Associação Brasileira de Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares) é de um aumento destes produtos de 15% a 30%, informou a Agência Brasil.

Ainda conforme a associação, as indústrias e os importadores estão sofrendo com uma alta dos custos. “São aumentos elevados e frequentes nas diversas matérias-primas como papel, papelão, plástico, químicos e embalagem. Para os produtos importados, os principais impactos são a variação do dólar no Brasil, os aumentos de custos na Ásia e a elevação dos preços de fretes internacionais, decorrente da falta de containers. Além disso, as medidas antidumping para importações de lápis da China, adotadas pelo governo brasileiro em 2021, aumentaram os custos na categoria de lápis”, observou o presidente da Abfiae, Sidnei Bergamaschi.

OPERAÇÃO & DICAS
Estarão nas ruas da cidade as quatro viaturas do Procon. Dois carros a cada período – manhã e tarde – irão levar fiscais até as papelarias e varejos de material escolar. Segundo o diretor do órgão, Fábio Dionísio, o principal objetivo é o de proteger o consumidor durante o período em que os pais saem às compras, podendo se deparar com situações que terão de saber lidar para que não sejam lesados.

Entre as principais dicas do Procon, a primeira é checar a real necessidade da compra de cada item, verificando o que há ainda disponível em casa. A troca dos livros didáticos entre os alunos de diferentes anos também vale à pena para economizar. O órgão destaca que o consumidor não é obrigado a comprar os materiais em estabelecimentos que constam da lista fechada da escola.

“É garantido ao consumidor a liberdade de comprar os itens solicitados conforme suas possibilidades econômicas, por meio de pesquisas de preço; checar se os estabelecimentos praticam preços diferenciados e solicitar desconto principalmente no pagamento à vista e, se for a prazo, negociar maior quantidade de parcelas; checar sempre a validade dos produtos e, se for importado, conferir se as informações estão em português, para que possa ter conhecimentos dos detalhes; e sempre exigir nota fiscal para que, caso necessário, tenha possibilidade de reclamar e exigir o seu direito, como a devolução do produto”, lista o Procon sobre pontos relevantes no momento da compra.

Cristiane Bonin
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

5 × 5 =