Nossa relação com os animais

Os animais, compartilhando com os outros seres a vida em nosso planeta, têm convivido com os humanos há incontáveis milênios. Cada espécie ocupa seu lugar e desempenha seu papel na teia da vida, interagindo com as demais no dinamismo da troca de experiências.

À medida que a humanidade progride e amadurece, lentamente apura sua sensibilidade, passando a perceber realidades mais amplas em relação aos demais indivíduos, assim como aos reinos da Natureza. Com o desenvolvimento dos direitos humanos e das leis correspondentes, a maioria dos grupos humanos tem sido incluída em mecanismos protetores através de legislação pertinente, de políticas públicas ou de iniciativas pessoais ou coletivas. Essa atitude, de uns tempos para cá vem gradualmente se estendendo aos animais, os quais vêm sendo reconhecidos pela parcela mais sensível e educada da população como merecedores de proteção e amor. Podemos citar como expressões desse cuidado a medicina veterinária, os grupos e organizações que trabalham voluntariamente pelo bem-estar animal, pela abolição de todas as formas de crueldade e maus tratos a que ainda estejam sujeitos e pela preservação de espécies ameaçadas de extinção.

Essa consciência mais ampla e inclusiva, naqueles que já podem manifestá-la, se estende aos reinos vegetal e mineral, com os cuidados pela preservação e recuperação de matas e nascentes, rios e cursos d´água, passando a expressar um estado de ser.

Um dos importantes aspectos do respeito pela vida animal é a tendência à alimentação vegetariana, em que as pessoas, pelos mais diversos motivos, dentre os quais a compaixão, se abstêm do consumo de carne, evitando o sofrimento e o massacre dos animais. À medida que a consciência espiritual permeia de modo mais intenso a mente e o coração humanos, permitindo-lhes perceber realidades mais abrangentes – o que vem ocorrendo atualmente em parcela significativa da humanidade – torna-se possível uma diferente relação com os animais, que passam a ser tratados com o devido respeito.

A partir de uma visão integrada, pode-se fazer um paralelo entre as expectativas humanas em relação aos domínios espirituais e as dos animais em relação a nós. Da mesma forma que os humanos evocam forças e energias provindas de dimensões espirituais para protegê-los e ampará-los, os animais, inconscientemente, esperam de nós a mesma ajuda e proteção, na interdependência entre todos os seres na imensa rede da vida, além do que, como seres mais conscientes, cabe-nos a responsabilidade pelos demais reinos da Natureza no sentido da sua preservação.

A lei de causa e efeito, ou lei do carma, conhecida há milênios no Oriente e cada vez mais no Ocidente, estabelece que tudo o que se planta se colherá, que tudo o que se faz aos outros voltará ao seu autor, como mecanismo universal de equilíbrio e justiça. Portanto, o que a humanidade faz com os animais retornará a ela. Daí a necessidade de nos educarmos a fim de nos livrarmos dos traços de brutalidade e crueldade que ainda nos caracterizam, rumando para um modo de vida verdadeiramente digno. O reconhecimento e aplicação da referida lei pode auxiliar na mudança de atitudes em relação aos animais, até que o amor se expresse e torne o ser humano espontânea e naturalmente inofensivo a eles, assim como aos demais seres vivos, passando da condição de explorador cruel à de colaborador e servidor, rumo a uma nova realidade planetária mais harmoniosa, pacífica e feliz.

LEIA MAIS:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

seis − 5 =