Documento foi encaminhado ao Jurídico da Casa de Leis (Foto: Claudinho Coradini/JP)

A Câmara dos Vereadores de Piracicaba recebeu mais um pedido de cassação contra o prefeito Barjas Negri (PSDB). O documento foi protocolado ontem (17) e tem autoria de José Rodrigues Ferreira, integrante do Movimento de Combate à Corrupção em Piracicaba.

Para fundamentar a denúncia, o documento cita a condenação em primeira instância do prefeito em junho com anulação do contrato de PPP (Parceria Público-Privado) de serviços de limpeza pública e a manutenção da condenação pelo TJSP (Tribunal de Justiça do Estado) por improbidade administrativa na contratação de empresa de consultoria em 2005.

Além disso, o documento ainda cita “lista imensa de processos nas mais diversas instâncias judiciais” e processos administrativos junto ao TCE-SP (Tribunal de Constado do Estado de São Paulo).

De acordo com a assessoria de imprensa da Câmara de Vereadores, “o protocolo segue diretamente ao Departamento Jurídico para dar parecer sobre o pedido”. Ainda segundo a assessoria, não se tem estimativa de prazos para votação.

Este é o segundo pedido de cassação do prefeito Barjas Negri protocolado na Casa de Leis por um integrante do Movimento. O primeiro foi feito em 29 de junho, assinado por Walter Rodrigues, o qual a Câmara rejeitou, por 19 votos a três, na primeira semana de julho.

“Foi negado? Outro membro entrará. A dignidade do prefeito está em jogo. Usa de filigranas jurídicas para se manter. Condenado em 2ª instância e continua no cargo. Com inúmeros recursos”, comenta o coordenador do Movimento, Rogério Gonçalves.

Gonçalves também é secretário-geral do PSL, mas afirma que o Movimento é apartidário. “Nossa movimento é contra a corrupção. É apartidário. Quem achar um ilícito pode vir que o Movimento encampa a luta”, afirma.

Em nota, a prefeitura caracterizou o pedido de cassação como “tentativa de ganhar as eleições no ‘tapetão’ e não no voto”. E que a “oposição” usa, no novo pedido de cassação, “os mesmos argumentos do passado que não prosperaram”.

A nota ainda diz que o prefeitura Barjas Negri enfatiza que “o pedido não deverá prosperar na Câmara, porque a maioria dos vereadores tem responsabilidade, compromisso com a cidade, respeito aos moradores, e não com mentiras e fake news, principalmente nesse início de período eleitoral”.

A Prefeitura cita ainda que o prefeito foi considerado “apto a registrar sua candidatura” no Tribunal de Contas da União.

Andressa Mota

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quatro + treze =