O jardineiro que cultivava rosas 2

Foto: Pexels

Roberto Morais, é deputado estadual, Cidadania

Há alguns anos atrás, ainda jovem leitor, empolguei-me com um artigo escrito numa das páginas de opinião do JP, cujo titulo emprestei para o meu. “O jardineiro que cultivava rosas”, escrito pelo saudoso Dr. Losso Neto. Na ocasião, às vésperas de uma eleição difícil na cidade, ele, com esse gesto, emprestava seu apoio político e institucional, a força do JP e o seu carinho pessoal à figura humana do irrequieto e competente engenheiro agrônomo Jairo Ribeiro de Matos.

Como pode uma personalidade como aquela, empreendedor, turbilhão de ideias, humanista com todas as credenciais conquistadas desde o berço, a tenra infância, a formação profissional e a constituição de sua família exemplar, como a que teve o meu homenageado neste cantinho hoje.

Jairo foi um lutador como vereador, entre 1973 a 1976; depois como deputado estadual, entre 1979-1983, 1987-1991 e como suplente, entre 91 a 95, deixando sua marca como agrônomo e humanista por onde passou. Dentre o seu rol de leis, este importante projeto sobre uso, conservação e preservação do solo agrícola, que desde então, tornou-se referência, preocupação entre os especialista e desafio permanente para o campo.

Mas sua obra mais invejável foi a criação da primeira Cidade Geriátrica do Brasil, nos anos 70, no Lar dos Velhinhos de Piracicaba, uma espécie de condomínio para ricos e pobres, espalhados entre casas de aluguel e galpões coletivos, numa área cheia de árvores, flores, pássaros, lagos. Uma igreja belíssima, bem ao estilo dele, cheia de pinturas feitas por artistas locais, esculturas, obras de arte, misto de religiosidade e fé.

Orgulhava-se nas ultimas conversas que tivemos, sobre o período em que presidiu o nosso Semae, Serviço Municipal de Água e Esgotos, do linhão de teve construir a beira da estrada que nos leva a São Pedro, para pôr mais de 17 quilômetros, eestender a primeira rede de água para o distrito de Artêmis. Ele lembrava sempre o dia em que o então prefeito, Mendes Thame foi surpreendido por telefonemas em seu gabinete pedindo explicações sobre os inúmeros caminhões carregados de tubos parados na Praça da Saudade. Thame foi até lá e ao ver a enormidade, foi acalmado pelo tom nada sereno de Jairo, mostrando a ele que iria realizar uma das maiores obras de saneamento. Foi lá e fez.

Outra das suas paixões foi a construção e consolidação da Rádio Educadora, hoje sob o comando doseu sucessor, Jairinho Matos, que a transformou numa das maiores referencias regionais de jornalismo, prestação de serviços, musica e espírito plural nas ideias que dissemina com competência.

“Promover o homem e conservar a natureza”, um dos lemas preferidos deste piracicabano que nos encantou, nos orientou, foi imagem para muitos homens público desta cidade e que nos deixou no ano passado, aos 89 anos.

Mas o que o Dr. Losso naquele seu artigo emblemático quis dizer à sociedade piracicabana eu reitero aqui hoje. Por trás da figura leonina, briguenta, turrona e audaz, havia um jardineiro sensível que nas horas de lazer, para desanuviar as tensões da vida como profissional e político, plantava e regava seus canteiros, especialmente os feitos do Lar dos Velhinhos, com rosas de todas as tonalidades. Encantava-se com elas e desmanchava-se em gentilezas quando as entregava a familiares e amigos. Por trás do gigante dos palanques e das lutas, havia um homem bom, terno e trabalhador, que foi exemplo de vida e de dedicação à causa pública em nossa cidade.

A ele e a este Jornal dedico por hoje, estes meus escritos, em forma de respeito e profunda admiração pelo seu trabalho como político, inspirador de muitos, que, como o eu, o seguiram pela vida pública de nossa cidade.

LEIA MAIS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

um + cinco =