Marketing é uma expressão da língua inglesa que foi incorporada à nossa língua. A palavra é formada pelo vocábulo market e pelo sufixo -ing, terminação que caracteriza o gerúndio, ou seja, indica uma ação que está em desenvolvimento, em andamento.

Market é substantivo (mercado) e também verbo (mercadejar). Em sua essência, o significado de marketing é simples: ação no mercado ou agir no mercado. Os que agem no mercado são os empreendedores e os compradores. Os primeiros, que podem ser individuais ou institucionais, procuram alcançar seus objetivos empresariais oferecendo propostas, bens ou serviços que possam ser reconhecidos como algo de valor pelos compradores, também individuais ou institucionais, dispostos a pagar por sua aquisição.

O DNA do marketing permanece o mesmo, nunca mudou ao longo dos anos, ou seja, vender para mais pessoas, com uma frequência maior, pelo melhor preço, por meio da construção de marcas e do desenvolvimento de produtos que atendam à necessidade e despertem desejo nos consumidores. O que muda é a forma e os mecanismos utilizados para a construção das marcas e o desenvolvimento dos produtos, isto é, muda-se a forma de ativar o mercado e de se conectar aos compradores.

Na década de 1980, havia um mercado fechado, e o consumidor tinha poucas alternativas. Nesse período, reinaram as marcas líderes, e o foco do marketing era destacar os benefícios funcionais e o desempenho do produto. Nos anos 1990, o Brasil se abriu às importações, e, com a globalização, o consumidor começou a ter mais referências sobre produtos novos, qualidade e mix diferenciado de marcas.

É a década da digitalização, da liberdade de expressão, dos movimentos em favor das minorias. O marketing pautava-se não apenas no desempenho do produto, mas também no serviço e nos benefícios emocionais. A década de 2000 foi regida pela estabilidade econômica, conectividade, interatividade e redefinição dos papéis dos membros da família.

O marketing era direcionado para uma comunicação no mercado pautada pela conscientização do meio ambiente e dos valores humanos, além da busca por conveniência e por um estilo de vida mais saudável. O consumidor procurava por produtos, serviços e experiências. A partir de 2010, o mercado passou a ser guiado pelo poder da expressão, pela alta exposição e pela cocriação. Vivemos a década da vida compartilhada, do empreendedorismo, da ascensão da classe C, do crescimento da consciência política das pessoas.

Com a pandemia, o marketing em 2020 precisa ser pautado por ações que valorizem a transparência, a autenticidade e a verdade, bem como busque a individualização de seu público-alvo diferenciando seus produtos pela personalização e pelas experiências, além da inovação constante. Com o tempo e com a facilidade do acesso à informação proporcionada pelas novas tecnologias, a percepção do cliente ganhou força perante as corporações.

Consolidaram-se os meios digitais como poderosos canais de comunicação, o que alterou de forma irreversível a relação dos consumidores com as marcas e com a forma de se relacionar com o mercado. Nesse sentido, não se pode dizer que o marketing se tornou digital, mas, sim, que evoluiu com a sociedade.

Diante do cenário atual, suas ações devem ser focadas na inovação e no engajamento do consumidor, ou seja, em um consumidor que precisa dialogar com as marcas e deseja produtos funcionais e simples.

O marketing deixa de ser uma ação isolada e passa a ser responsabilidade tanto do público interno quanto externo das organizações. Todos devem compreender a importância do marketing, e não apenas como usá-lo nas mídias digitais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

3 × 2 =