Obra de Geovani Martins é tema de debate no Sesc

‘O Sol na Cabeça’, do jovem escritor carioca Geovani Martins, é o tema do encontro de hoje, às 19h30, no Sesc Piracicaba, dentro do projeto ‘A Literatura é um caminho carregado de Liberdade’, com mediação da professora e doutora Josiane Maria de Souza. A participação da atividade é gratuita e, segundo a mediadora, não é preciso ter lido a obra. “Basta ter vontade de aprender e descobrir talentos da literatura, nacional ou internacional”.

A Literatura é um caminho carregado de Liberdade, como ressalta Josiane, é um projeto literário que começou ano passado no Sesc. A temática foi mantida para 2020.

Com encontros mensais, que acontecem toda última quarta-feira do mês, o projeto convida o público para um bate-papo sobre as obras da literatura mundial que causaram impacto na sociedade e que demonstram que essa linguagem, como destaca Josiane, é o espaço permanente para o debate de ideias, sendo uma forma de resistência à barbárie do cotidiano.

O livro que lançou Geovani ao mundo literário foi escolhido para o encontro deste mês de fevereiro porque é desafiador e foi concebido num lugar onde, na maioria das vezes, o ofício da leitura e da escrita é submetido às mazelas do crime e da pobreza. “Geovani, de apenas 28 anos nasceu em Bangu, na periferia. Sua escrita traz elementos deste universo e chegou a receber elogios de pessoas ilustres, como Chico Buarque”, conta a mediadora.

O texto é recente, foi lançado em 2018 e saiu por uma grande editora, a Companhia das Letras. “Não é uma literatura marginal, mas aborda um mundo marginado. Marginal é apenas a temática e a forma da escrita”, ela aponta, exatamente a respeito dos elementos que fizeram de “O Sol na Cabeça” um sucesso de vendas e crítica. “Ele dá voz a lugares marginalizados, tem uma linguagem sincera. Ele estudou apenas até a 8ª série, mas desenvolveu muito bem a escrita a partir de um projeto de literatura dentro da comunidade”.

No encontro de quarta-feira à noite, explica a mediadora, vida e obra de Geovani serão expostas e debatidas. “Vamos ler fragmentos do livro, discutir, assim como contextualizar os elementos que possibilitaram ao autor escrever”, ela explica.

Erick Tedesco ([email protected])

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

16 + sete =