Ocorrências por perturbação do sossego aumentaram em 220% durante a quarentena

Foram 496 denúncias em dois meses, que culminaram em 24 multas. (Foto: Amanda Vieira?JP)

As ocorrências por perturbação do sossego público registradas pelo Pelotão Ambiental da Guarda Civil Municipal em março e abril deste ano aumentaram 220% durante a quarentena, se comparado com o mesmo período do ano passado. Segundo a Guarda, as ocorrências se intensificam ainda mais aos finais de semana.


Até o momento, o mês da quarentena no qual ocorreram mais denúncias dessa natureza foi abril, porém os dados de maio ainda não foram fechados pelo Pelotão Ambiental.

Em março e abril do ano passado, foram registradas, respectivamente, 72 e 83 ocorrências. Neste ano, nos mesmos meses, foram, respectivamente, 178 e 318 chamados.

De acordo com o subinspetor da Guarda Civil e encarregado do Pelotão Ambiental, José Mendes de Matos, 24 dessas ocorrências culminaram em multas, sendo 11 autuações em março e 13 em abril. O baixo índice de multa mostra que a população acata as orientações da Guarda no ato da verificação da ocorrência.

Segundo o subinspetor, a maior parte das ocorrências diz respeito a chácaras, bares e lanchonetes. Matos entende que as denúncias aumentaram durante a quarentena por conta da aglomeração que o som alto pode promover.

“Onde se tem um som logicamente existe um número maior de pessoa – a gente considera uma quantidade de dez pessoas a mais”, comenta o subinspetor.

Matos explica ainda que a ação da Guarda Civil nestas ocasiões visa conscientizar a população sobre o decreto de quarentena, contando com a compreensão dos envolvidos. “Nós costumamos usar o bom-senso para que cesse aquela música, aquela aglomeração. Acho que é o melhor caminho de momento, primeiro contato. A não ser que tenha reincidência, aí já vai complicando um pouco mais”, comenta.

Dependendo da receptividade do local, o Pelotão Ambiental orienta, notifica ou, se não houver colaboração e constatando de forma técnica o excesso de barulho, multa.

“No caso não chegar ao acordo, a gente solicita o engenheiro. Já deixa uma notificação preliminar e solicita. [Ele] faz a avaliação na casa do solicitante e aí já emite a multa com relação a essa perturbação do sossego público”, conta Matos.

O subinspetor lembra que as ocorrências de perturbação de sossego público não ocorrem apenas à noite. O Pelotão Ambiental atua 24 horas por dia. As denúncias podem ser feitas pelos telefones (19) 3426-1996, 3226-4307 e 153, além da Polícia Militar, pelo 190.

Andressa Mota