Ocupação de UTI Covid-19 SUS é de 100% na cidade

Foto: Claudinho Coradini/JP

Dois hospitais que atendem o SUS (Sistema Único de Saúde) com UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) para o tratamento da covid-19 informaram, nesta quarta-feira, que estão com ocupação de 100% dos leitos. São eles: Santa Casa de Piracicaba e Hospital Fornecedores de Cana. Dados do Departamento de Comunicação da Santa Casa informam ainda que a taxa de ocupação de leitos de UTI Covid-19 para conveniados do plano de saúde é de 63,16%. A média geral de ocupação no hospital está em 76%.

Já o Hospital da Unimed Piracicaba informou que o atendimento para esses pacientes em leitos de UTI é de 73%. De acordo com a Prefeitura de Piracicaba, a ocupação total de leitos de UTI Covid-19 é de 76%.

FASE VERMELHA

O Governo do Estado de São Paulo anunciou ontem que todos os 645 municípios vão regredir para a fase vermelha do Plano São Paulo a partir deste sábado. A etapa mais rigorosa de restrição de mobilidade urbana e serviços não essenciais fica em vigor até o próximo dia 19 devido o aumento alarmante de casos, internações e mortes causadas pelo novo coronavírus.

De acordo com o Plano SP, a fase vermelha só permite funcionamento normal de serviços essenciais como indústrias, escolas, bancos, lotéricas, serviços de saúde e de segurança públicos e privados, construção civil, farmácias, mercados, padarias, lojas de conveniência, feiras livres, bancas de jornal, postos de combustíveis, lavanderias, hotelaria e transporte público ou por aplicativo, entre outros.

Já os comércios e serviços não essenciais só podem atender em esquema de retirada na porta, drive-thru e pedidos por telefone ou internet. Academias, salões de beleza, restaurantes, cinemas, teatros, shoppings, lojas de rua, concessionárias, escritórios e parques deverão ficar totalmente fechados ao público.

O presidente da Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba), Luiz Carlos Furtuoso, disse que a decisão terá um impacto muito forte no comércio, tanto para a sobrevivência das empresas, como para a manutenção do emprego.

Ele disse que há meses a economia tenta retomar a normalidade, ainda, ‘a passos curtos’. Para ele, é necessário uma avaliação das ações das restrições entre as 23h e 5h anunciadas recentemente pelo governo, antes de decidir pelo fechamento. “É uma improvisação rápida que causa pânico na população, sem medir os resultados das mudanças”, avaliou.

Beto Silva
[email protected]

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

14 − nove =