OMS: casos de covid-19 aumentaram após seis semanas de recuos, afirma Tedros

Foto: Freepik

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou nesta segunda-feira, dia 1º, que, na última semana, os casos da covid-19 no mundo tiveram um aumento, após seis semanas de recuo “Os casos reportados aumentaram em quatro das seis regiões da OMS: as Américas, Europa, Sudeste Asiático e Leste do Mediterrâneo”, afirmou ele, durante entrevista coletiva. “Isso é desapontador, mas não uma surpresa”, comentou.

Tedros Adhanom disse que a OMS trabalha para entender melhor esses aumentos na transmissão. “Parte disso parece ser devido ao relaxamento de medidas de segurança pública, à continuada circulação de variantes e a pessoas baixando sua guarda”, afirmou. Ele insistiu para que as pessoas pelo mundo mantenham medidas comprovadas para conter a disseminação do vírus, como o uso de máscaras, a lavagem das mãos e o distanciamento social.

O diretor-geral da OMS também lamentou que “alguns países continuem a priorizar a vacinação dos mais novos, de adultos saudáveis de risco menor da doença em suas próprias populações antes de trabalhadores de saúde e idosos em outras partes”. Enfatizou, ainda, que, diante da ameaça global, é preciso haver uma resposta coordenada pelo mundo ao problema. “Não estamos pedindo aos países que coloquem seu próprio povo em risco. Estamos pedindo que todos os países sejam parte de um esforço global para suprimir o vírus em toda parte.”

Tedros Adhanom informou que nesta segunda a Iniciativa Covax realiza suas primeiras entregas de vacinas contra a covid-19 em Costa do Marfim e Gana. Até o fim de maio, a OMS projeta enviar 237 milhões de imunizantes por meio da Covax, para 142 países participantes.

Tedros Adhanom disse que a OMS trabalha para entender melhor esses aumentos na transmissão. “Parte disso parece ser devido ao relaxamento de medidas de segurança pública, à continuada circulação de variantes e a pessoas baixando sua guarda”, afirmou. Ele insistiu para que as pessoas pelo mundo mantenham medidas comprovadas para conter a disseminação do vírus, como o uso de máscaras, a lavagem das mãos e o distanciamento social.

O diretor-geral da OMS também lamentou que “alguns países continuem a priorizar a vacinação dos mais novos, de adultos saudáveis de risco menor da doença em suas próprias populações antes de trabalhadores de saúde e idosos em outras partes”. Enfatizou, ainda, que, diante da ameaça global, é preciso haver uma resposta coordenada pelo mundo ao problema. “Não estamos pedindo aos países que coloquem seu próprio povo em risco. Estamos pedindo que todos os países sejam parte de um esforço global para suprimir o vírus em toda parte.”

Tedros Adhanom informou que nesta segunda a Iniciativa Covax realiza suas primeiras entregas de vacinas contra a covid-19 em Costa do Marfim e Gana. Até o fim de maio, a OMS projeta enviar 237 milhões de imunizantes por meio da Covax, para 142 países participantes.

Fonte: Agência Estado

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

10 − sete =