Onde falhamos com a atividade física e promoção da saúde?

foto: Agência Brasil

A pandemia da Covid-19 veio mostrar um dado infelizmente ruim…continuamos um pais sedentário e copiando o que há de pior em alimentação de países como os Estados Unidos o que reflete no número de mortes que estamos tendo.

Falhamos em mostrar a população em como o exercício deveria ser visto pela parte de saúde e não somente de estética. Até hoje muitas pessoas usavam a academia com objetivos estéticos e não somente de saúde e com isso afastando muitas pessoas que poderiam fazer atividade física para melhorar exatamente a sua saúde.

A Pandemia mostrou que os atuais modelos de exercícios apesar dos surgimentos de grandes corporações e redes de academia não mudou muito o número de pessoas que praticam atividade física. Ainda se briga pela mesma fatia da população quando ainda se tem 80% das pessoas que não fazem nada pela sua saúde através da atividade física.

É preciso mostrar o quanto o exercício pode ser prazeroso e de que forma ele pode atuar na sua saúde. Não só pela estética, o grande chamariz de quem busca uma academia, mas principalmente pela saúde. Fazer uma atividade física é aumentar todos os seus parâmetros bioquímicos e biológicos para melhor.

É preciso proporcionar novas vivencias para quem está em casa, treinando online ou com medo da Covid-19 e não quer sair de casa. Além disso, é preciso cativar novamente pelo menos 50% das pessoas que faziam atividade física frequentemente e pararam por causa da pandemia. Você está em qual grupo?

Uma ação conjunta com as todas as esferas governamentais se faz preciso, para que possamos reduzir o número de mortes relacionadas a obesidade e inatividade física. E estas duas, está sendo o principal fator de morte de Covid-19 entre os mais novos ou abaixo dos 60 anos de idade.

Sabemos atualmente que 50% das mortes poderiam ter sido evitadas pela pratica regular da atividade física e na qual já mencionei em diversos artigos aqui no jornal. Além disso, o governo poderia estar economizando bilhões em gastos médicos relacionados ao sedentarismo, absenteísmo e inatividade física. Em pesquisa da IHRSA uma renomada instituição americana de clubes e academias esportivas mostra que para cada dólar investido em saúde há um retorno de cinco dólares em gastos médicos que não serão usados. Um para cinco!!!

Apesar de todas as pesquisas, pecamos ainda pela falta de educação do nosso povo. O futuro do exercício já chegou, está acontecendo, entre o híbrido e o presencial, entre a comodidade e a experiência. No entanto, ainda temos uma fatia de 80% da população que não faz nada. E precisamos cuidar exatamente deste público. E lembre-se aquele ditado comum que existe na boca das pessoas. Se você acha caro investir 150 reais em uma academia ou pratica esportiva, espere até ter que investir dez vezes mais para ter que ficar vivo. E a Pandemia veio nos mostrar isso também. Até a próxima!

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dezessete − 16 =