ONG vai fazer drive-thru para ajudar famílias de comunidades

Esta é a terceira ação da Cufa, que já ajudou as comunidades da Portelinha e Frederico (Foto: Amanda Vieira/JP)

Famílias carentes de favelas da cidade fazem parte do grupo social mais afetado pela pandemia da covid-19. Em muitos casos, sofrem tanto com falta de sistema de esgoto adequado e dificuldades para suprir todas as necessidades básicas do núcleo familiar, principalmente os numerosos, cujas mães precisam ficar em casa para cuidar dos filhos. São estas famílias que terão prioridade na arrecadação de alimentos que a ONG Cufa (Central Única das Favelas) realizará na manhã desta sexta-feira (15), em sistema drive-thru, na portaria do clube Cristóvão Colombo.

A ação será das 9 às 16h. Como ressalta o coordenador da célula da Cufa em Piracicaba, Herald Eugênio, a entrada será pelo portão do estacionamento interno do clube, com saída pelo portão lateral. “A pessoa nem precisa descer do carro, assim mantemos o necessário distanciamento”. Além de alimentos, a ONG aceita itens de higiene pessoal e roupas. “Vamos separar toda a arrecadação, montar as cestas básicas e enviar à comunidade”, ele destaca.




Ainda não está definida qual comunidade receberá as doações desta ação, a terceira da Cufa em Piracicaba – anteriormente, receberam alimentos as comunidades Portelinha e Frederico (foram duas ações). Segundo Eugênio, a ONG – que na cidade atua com oito voluntários – estuda fazer a entrega na Pereirinha, que conta hoje com 60 famílias, ou na comunidade em Caiubi, com 55 famílias.

“As cestas básicas são entregues nas mãos de cada mãe da família. É o foco do projeto, entregar para que elas possam administrar os alimentos e as doações”, explica o coordenador. Como ressalta, a prioridade é ajudar famílias com diversas bocas para serem alimentadas.

A Cufa está em Piracicaba há um mês e, na verdade, o correto é Cufa Campinas – Ação Piracicaba. “Para atuar aqui, precisamos puxar um braço da Cufa de Campinas. A ideia é desenvolver outros projetos da ONG na cidade, inclusive após a pandemia”.

Na ativa em âmbito nacional há 20 anos, a Cufa trabalha com comunidades com ações de cunho político, esportivo e cultural. Foi criada a partir da união entre jovens de várias favelas, principalmente negros, que buscavam espaços para expressarem suas atitudes, questionamentos ou simplesmente sua vontade de viver. O rapper MV Bill é um dos fundadores.

Eugênio conta que, desde o início das atividades em Piracicaba, o núcleo local da Cufa busca entrar nas comunidades, dialogar com as famílias e entender as suas realidades. “A sociedade precisa ser sensível a este assunto. São pessoas que passam por muitas dificuldades e precisam de cuidados”.

O coordenador revela que em uma das primeiras ações da Cufa na cidade, teve uma experiência da qual nunca se esquecerá. “Entregamos uma colomba pascal para uma criança e, antes de qualquer coisa, ele foi chamar outras crianças da rua para poderem dividir o a alimento”.

Erick Tedesco