Ópera Rigoletto estreia em julho no Theatro Municipal de São Paulo

Desenho de um dos cenários projetados por Nicolás Boni para a ópera Rigoletto (Foto: Divulgação)

A temporada lírica de 2019 do Theatro Municial de São Paulo traz uma das óperas mais importantes do romantismo italiano, Rigoletto de Giuseppe Verdi. Com direção cênica de Jorge Takla e musical do maestro Roberto Minczuk, a estreia acontece no dia 20 de julho, às 20h. As récitas seguem nos dias 23, 24, 26, 27 e 30, sempre às 20h, e nos domingos 21 e 28 às 18h.

A ópera em três atos, com libreto de Francesco Maria Piave, é baseada na peça Le rois’amuse (O Rei se Diverte) de Victor Hugo e faz parte da chamada trilogia popular de Verdi (junto a Il Trovatore e La Traviata). Rigoletto é um bufão corcunda da corte, de língua afiada e mordaz que serve ao Duque de Mântua, um libertino incontrolável. Rigoletto mantém escondida em casa sua única filha que tem permissão de sair somente para ir à missa. E é exatamente na missa que Gilda, a filha do bufão, conhece o insaciável Duque (que se apresenta para a jovem como um pobre estudante). Os cortesãos num gesto de vingança pelas piadas do bufão sequestram sua filha que será depois abusada pelo próprio Duque. O bufão decide se vingar, mas uma maldição ronda sua vida e fará com que toda a tragédia se complete.



Jorge Takla, que já dirigiu cerca de 20 óperas, considera os temas abordados pelo libreto de Rigoletto atuais e flagrantes de nossa perene condição humana. Assédio, cárcere privado, corrupção, vingança, estupro. Por isso prefere criar uma montagem que se passa no tempo sugerido pelo libreto: o século 16. “A obra essencialmente aborda o amor paterno, nada mais atual e eterno. Seria redundante e gratuito atualizá-la”, explica.

Os ingressos para Rigoletto variam de R$ 20 a R$ 120 e estão à venda pelo site do Theatro Municipal ou na bilheteria. A ópera é a segunda da Temporada Lírica 2019 após O Barbeiro de Sevilha que estreou em fevereiro.

Da Redação