Outro acusado do roubo em Araçatuba é preso em Piracicaba; filho e guarda civil também

Policiais militares do 10º BPM/I (Batalhão da Polícia Militar do Interior) prenderam ontem (08), no Jardim Gilda 2, em Piracicaba, mais um suspeito de participação do mega-assalto a bancos que ocorreu no início da madrugada da segunda-feira (30), em Araçatuba. O filho dele, que teria envolvimento com o tráfico de drogas e um guarda civil de Piracicaba que teria vendido irregularmente seu revólver também foram detidos na ação.

De acordo com a PM, o filho do suspeito foi localizado em frente de sua casa, por volta das 10h. Com ele, os policiais teriam encontrado R$ 120 e um celular. Ele teria confessado que seu pai estava em casa e confessou que guardava grande quantidade de drogas em casa, destinada ao abastecimento do tráfico de drogas. Foi realizada vistoria no local indicado por ele, onde encontraram uma mochila contendo doze porções grandes de maconha, totalizando a quantidade de 1,354kg.

Revólver localizado na casa do suspeito foi vendido irregularmente por guarda de Piracicaba (Divulgação)

O acusado foi abordado no interior de seu quarto, e com ele foi localizado apenas um aparelho celular. Como se tratava de um mandado expedido pela Justiça Federal, as equipes preservaram o local até a chegada dos agentes da Policia Federal. Durante as buscas, os policiais também localizaram um revólver calibre 38, 20 munições intactas de calibre 635, 72 munições intactas, notebook, algema, munições deflagradas, vários coldres e veiculo VW Gol.

Ambos foram conduzidos à sede da Delegacia da Polícia, onde o pai permaneceu preso sobre os roubos em Araçatuba e o filho por tráfico de drogas.

Filho do suspeito foi preso por tráfico de drogas (Divulgação)

GUARDA

De acordo com a PM, os policiais descobriram que o revólver apreendido pertencia a um guarda civil, que teria apresentado um contrato de compra e venda do armamento (irregular). Ele também foi autuado em flagrante e permaneceu preso à disposição da Justiça Federal.

O comandante da GC, Sidney Nunes disse que o guarda estava de férias. “A corporação vai acompanhar a apuração sem interferir, pois trata-se de um caso isolado e não ocorreu durante o serviço na instituição. Caso precise, poderá constituir um advogado por meio de nosso sindicato”, informou. “O guarda era antigo e estava se preparando para uma cirurgia”, completou.

OUTROS PRESOS DE ARAÇATUBA

Morreu na noite da quarta-feira (02), um dos assaltantes de Araçatuba baleado na barriga. Ele estava internado na Santa Casa desde a última terça-feira (31) e chegou a ser abandonado pelo bando na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de São Pedro. Mas, devido à gravidade do ferimento, foi transferido para Piracicaba, onde permanecia sob forte escolta policial em estado gravíssimo. Ele deu entrada sem documento, mas foi identificado pela Polícia Militar.

Outro suspeito da ação criminosa, atingido com disparo de fuzil no braço fugiu da unidade após ser avisado que seria transferido à Santa Casa de Piracicaba e deixou para trás o comparsa. No entanto,  ele deu entrada no hospital no mesmo dia, após ser localizado em uma casa no Lago Azul pelos policiais civis da 2ª Dise/Deic (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes da Divisão Especializada de Investigações Criminais).

LEIA MAIS

Cristiani Azanha

[email protected]

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

10 − sete =