Pacientes recebem visitas especiais

Integrantes do Cãopanheiro e Nariz de Plantão levam alegria e acalento nos hospitais e asilos da cidade. (Foto: Foto: Amanda Vieira/JP)

Sempre quando ouvimos falar sobre trabalho voluntário, vem na cabeça, pessoas que trabalham em prol de ajudar os outros cidadãos, inclusive aqueles que estão em situação vulnerável como uma internação e tratamento contra câncer em hospitais, por isso, em Piracicaba, existem dois projetos que levam alegria aos pacientes, com o objetivo de amenizar toda a tensão do ambiente hospitalar.

Para trazer sorrisos nos rostos, alegria, felicidade e uma imensa saudade dos seus próprios cachorrinhos, além de tirar aquele sentimento triste de hospital, o projeto Cãopanheiro foi fundado há seis anos e atua todas às quartas-feiras no Hospital Fornecedores de Cana e um domingo por mês no Lar dos Velhinhos.



Segundo Ricardo Cançado, fundador do Cãopanheiros, a visita tem cerca de uma hora por que é o tempo que o cachorro aguenta por absorver muitas energias desse local. Essa visita tem o nome de Terapia assistida por animais. “O objetivo do nosso trabalho é fazer com que as pessoas que lá estão, ou um enfermo ou um idoso do lar dos velhinhos, que eles possam ter um contato com os cães e tenham um dia um pouco diferente do ambiente do hospital ou do lar que mora”, explica.

Além disso, o fundador comenta que todas as semanas que passam pelos quartos dos pacientes do hospital, nem sempre são as mesmas pessoas, pois, alguns são pacientes passageiros, mas destaca a história de um garotinho que mora no hospital há quase dois anos e que aguarda todas as quartas-feiras a visita dos amigos. “Os cães viraram para ele uma terapia mesmo, ele gosta muito dos cães, gosta de fazer carinho e é como se ele estivesse dentro da casa dele mesmo”, comenta.

Para a paciente Alice Capranico, a saudade dos seus cachorrinhos é ensurdecedora, então o momento com os Cãopanheiros é de muita alegria. “É uma sensação única, não sei explicar, é emocionante. Eles trazem uma alegria ao quarto, adoro esses cachorros e esses momentos”, relata.

A paciente Lia Dobes está internada e luta contra o câncer há três anos e o momento com os Cãopanheiros foi satisfatório porque ela ama cachorros e tem dois em sua casa. “Foi um momento de muita alegria, porque estou recebendo alta depois de três anos e foi um milagre”, comenta. Para Lia a importância também é em adotar os amiguinhos porque eles precisam de amor.

Para Ricardo, a relação dos pacientes com os cachorros em primeira instância é de total desconfiança, mas logo depois de alguns minutos se soltam e aproveitam o momento. “É questão de cinco minutos para eles se vangloriarem com o cão, com a beleza deles e com o carinho que possam dar”, disse.

Outro projeto que traz alegria aos pacientes dos quartos de hospitais é o Nariz de Plantão, que atua na cidade desde 2014 com a iniciativa de visitar e fazer intervenções em lares de idosos, mas em 2015 conseguiram a parceria com o Hospital Unimed par às visitas em algumas alas.

Fabrício Fonseca, coordenador do Nariz de Plantão, explica o motivo dos voluntários utilizarem a figura do palhaço nos atendimentos: “Usamos a imagem do clown(palhaço) com o intuito de resgatar a autoestima e contribuir com o bem-estar físico, psíquico e social dos pacientes, funcionários e acompanhantes que estejam naquele momento no hospital.”

Além disso, Fabrício enfatiza que com o passar do tempo ganharam a confiança de quem trabalha dentro do hospital e começaram a atuar em outras alas. “A ideia é tirar o paciente daquele estado de enfermidade e mostrar um lado lúdico, fazendo que ele esqueça um pouco da dor e se sinta acolhido.”, comenta.

Para os dois projetos, o importante do trabalho acontecer são dos voluntários que atuam com o mesmo objetivo de alegrar os pacientes.

Crianças ficam encantadas com cachorros no hospital. (Foto: Amanda Vieira/JP)

Isabella Ercolin

[email protected]