Pais são inspirações aos filhos e ajudam na escolha das profissões

trabalho Enzo Neto seguiu na gastronomia por causa do pai Enzo Junior. (Amanda Vieira/JP) .

O papel do pai é muito importante na formação do caráter de um filho(a). Ser pai implica, entre muitas outras coisas, um esforço constante para educar e acompanhar de perto o crescimento pessoal e profissional dos filhos. A figura paterna será provavelmente o maior exemplo, o maior ponto de referência, que um filho irá ter na vida.

O administrador de empresas, Fernando Nalessio, 45, inspira-se diariamente no pai, Nivaldo Nalessio, 76, que, segundo ele, é o responsável por tudo o que ele se tornou. “Tudo o que eu sou é graças a meu pai. Minha educação, meu caráter, minha ética, meus valores, foi ele quem me deu. Todo o meu orgulho, respeito e gratidão são para ele”, declarou Fernando.

Nivaldo Nalessio é proprietário do Comércio de Madeiras Nalessio, que atua na comercialização de madeiras, ferragens, produtos para decoração e acabamento e também na área de transportes de cargas. “Eu ainda era criança quando comecei a trabalhar. Meu pai tinha um sítio onde trabalhávamos na lavoura e com cana-de-açúcar. Iniciei a minha carreira aos 18 anos, como motorista de caminhão, sempre com o pé na estrada. Em 1978, fundei a minha empresa, meu filho sempre esteve envolvido nesse meio, achei natural que fosse escolher o mesmo caminho e quando finalmente o fez, fiquei radiante”, revelou Nivaldo.

Influenciado pelo pai, Fernando cursou administração de empresas e especializou-se em Marketing e Finanças. Atualmente divide o comando da empresa com o pai. Ele revela que o pai é o amigo a quem ele sempre consulta para tomar as decisões mais importantes da sua vida.“Trabalhar junto com o meu pai é um privilégio. Somos muito próximos e unidos principalmente nos momentos mais difíceis”, ressaltou o filho.

Enzo Ganzerli Junior, 52, do Grupo Cazaretto, inspirou o filho Enzo Ganzerli Neto, 27, a seguir na carreira gastronômica, assim como ele. Hoje o filho já possui sua própria empresa, o Buffet EG. “Meu filho cresceu no salão do restaurante, o amor pela culinária veio de berço”, brincou Enzo Junior. O pai relata que o filho o ajuda a manter-se atualizado no mercado, que, segundo ele, é muito competitivo.

Enzo Junior, formado em gastronomia, contou que o pai lhe ensinou muito mais do que qualquer outra instituição poderia ter ensinado. “Minha escola foi o restaurante do meu pai. Atualmente estamos em projetos diferentes mas trabalhamos juntos por quase oito anos e foi muito gratificante. Além de pai e filho, somos parceiros de profissão e, acima de tudo, amigos”, ressaltou Enzo.

 

(Raquel Soares)