Pandemia não afeta crescimento da Koppert no mercado brasileiro

A vocação de Piracicaba para o desenvolvimento do agronegócio, unindo ciência, tecnologia, indústria e mão de obra atraíram a empresa que instalou por aqui seu parque fabril

A multinacional holandesa Koppert Biological Systems, líder global em controle biológico, chegou ao Brasil há 10 anos e nesse período cresceu juntamente com a adoção dos biodefensivos pelos agricultores brasileiros. Com investimento na casa dos R$ 100 milhões em seu parque fabril de defensivos microbiológicos em Piracicaba, instalou também armazém logístico e centro administrativo.

Com um incremento médio de 29% ao ano no faturamento, tornou-se líder em participação de mercado, firmando-se como referência em pesquisa e desenvolvimento de produtos biológicos e novas tecnologias do segmento, segundo o diretor comercial, Gustavo Herrmann. Com faturamento estimado em R$ 250 milhões em 2021, a empresa vê em Piracicaba um ambiente favorável ao agro, unindo tecnologia do AgTech Valley com conhecimento da Esalq/USP, boa localização logística, tendo o aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, como importante eixo de desenvolvimento.

Priorizando a mão de obra local, a empresa teve que repensar sua rotina, principalmente pela necessidade de manter em funcionamento a fábrica de organismos. “Conseguimos manejar de forma eficiente o problema, seguindo todas as recomendações das autoridades sanitárias nacionais e internacionais para o cuidado com o trabalho presencial e dessa forma não tivemos casos graves de Covid-19”, relata Herrmann.

Já no ponto de vista de negócio, a empresa não sentiu o impacto da pandemia, mantendo o crescimento no mercado brasileiro. “Isso nos propiciou ajudar a cidade, ainda que de forma singela, nesse período difícil de crise, conta. A empresa emprestou à Prefeitura um super-freezer para acondicionamento das vacinas da fabricante Pfizer, possibilitando que a cidade recebesse o medicamento.

Para 2021, a Koppert espera um crescimento da ordem de 50% em vendas, principalmente em culturas como soja, milho e cana-de-açúcar, e um 2022 também promissor, levando em conta o encerramento da pandemia pela vacinação completa da população.

Gustavo Herrmann afirma que o crescimento é resultado de um aumento na demanda por defensivos biológicos e de um grande potencial de mercado ainda a ser explorado, juntamente com sua capacidade de evolução. “A empresa vem investindo constantemente na ampliação de sua área produtiva,em pesquisa e desenvolvimento e equipe de vendas. Nos próximos cincoanos, vamos investir aproximadamente R$300 milhões em novos produtos, novas plantas fabris(macro e microbiológicos) e contratação de novos colaboradores. Aquisições também estão em nosso radar.”

O trabalho desenvolvido pela companhia auxiliou na adoção do manejo integrado de pragas e do controle biológico no Brasil, que hoje é um mercado em franca expansão, se consolidando cada vez mais como uma alternativa rentável, produtiva e sustentável para o agronegócio nacional. De acordo com dados da Croplife Brasil, o mercado de produtos biológicos deve atingir R$ 3,7 bilhões no Brasil em 2030, um crescimento de 107% em comparação com a previsão de vendas para 2021. Apenas na última safra, seu uso atingiu uma área 20% maior que na anterior.

Especial Piracicaba 254 anos

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

5 + 4 =