Panelinhas no trabalho

Foto: Pexels

Uma organização empresarial é constituída basicamente de pessoas que nela trabalham. Como seres humanos, seus colaboradores estão sujeitos às mais diversas influências dos ambientes interno e externo, diante das quais reagem de diferentes maneiras. O conjunto dos vários sentimentos vividos por eles e de suas consequências no ambiente de trabalho denomina-se clima organizacional.

É importante medir os aspectos do trabalho, como a motivação e o comportamento dos funcionários, uma vez que o clima organizacional retrata a realidade da empresa e influi na produtividade. No referido ambiente, certos colaboradores, ansiosos para proteger seus empregos ou assegurar determinadas posições que ocupam, formam os chamados feudos ou panelinhas. Os feudos surgem em todos os tipos de organização e podem se instalar em qualquer nível corporativo: individual, de equipe, de departamento, de divisão ou de filiais.

Esses grupos podem trazer consequências negativas para a organização, visto que, pelo fato de resistirem a ideias novas, seu objetivo maior é assegurar o status quo, e isso limita a criatividade de todos. Quando os gestores dos setores denominados feudos não passam informações fidedignas desses departamentos que estão sob sua responsabilidade, a situação tende a se agravar, e a empresa inteira pode ser prejudicada.

O feudalismo nas empresas precisa ser combatido e eliminado. Desse modo, as organizações devem sempre se preocupar em verificar qual o melhor modo de desmontar os feudos que proliferam em seus departamentos. O primeiro passo para combater essas panelinhas é incentivar o bom relacionamento entre todos os membros da equipe. É comum que algumas pessoas vejam seus pares de trabalho como concorrentes diretos, o que provoca um clima de constante competição.

As panelinhas são provenientes daquelas pessoas que acreditam ser melhores que as outras ou dos típicos ‘reclamões’ de plantão. Por isso, a melhor maneira de evitar esse problema é combater as causas iniciais, ou seja, a insatisfação e a competição. Em um local de trabalho onde elas existem, a resolução de problemas é mais difícil, porque é mais provável que se trate de autopromotores, em vez de jogadores de equipe promovidos por um ambiente multifuncional.

Quando você opera num ambiente contaminado em que todos querem ser uma estrela, torna-se cada vez mais complicado ajudar a melhorar qualquer coisa. Há muitas pessoas no local de trabalho que gostam de criar um caos desnecessário, para que suas ineficiências nunca sejam expostas. São esses colaboradores que dificultam a resolução de problemas, pois retardam o processo de eliminação dos feudos enquanto tentam se tornar mais importantes.

O surgimento das panelinhas é atribuído a profissionais que estão no cargo há muito tempo e, por estarem acomodados, não querem mudar suas posturas. Tal comportamento pode trazer consequências negativas tanto para eles mesmos quanto para as empresas em que atuam. Outra ação para evitar as panelinhas consiste em transferir funcionários de uma equipe, divisão ou setor para outros setores, o que contribui para evitar a formação desses grupos.

No caso dos colaboradores que permanecem num mesmo cargo por muitos anos, a empresa passa a ter medo de mudá-los de atribuição, mesmo sendo capazes de dar uma contribuição maiorem outra atividade. O grande problema é que as panelinhas trazem consigo comentários maldosos, exclusão de alguns profissionais, ação “pelas costas” da gestão e muitos conflitos internos. Nesses casos, as pessoas passam mais tempo tentando contornar os problemas e se defendendo dos boatos do que trabalhando efetivamente, o que prejudica a saúde do clima organizacional, o bem-estar dos colaboradores e a produtividade.

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

cinco × 1 =