Papais Noéis usam máscara e fazem lives em ano de pandemia

Profi ssionais precisam se desdobrar para se aproximarem mesmo “à distância” das crianças. (Foto: Amanda Vieira/JP)

Em função da pandemia do novo coronavírus, até mesmo o Papai Noel teve de se adaptar em 2020. Por tradicionalmente serem idosos e obesos, o que os inclui no grupo de risco para complicações da doença, muitos dos profissionais que atuam como Papais Noéis estão trabalhando de maneira remota, sem nenhum contato com as crianças.

No Shopping Piracicaba, o Bom Velhinho participou apenas de encontros virtuais. Já o Papai Noel da Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba) percorreu, até a noite do dia 23, os principais corredores comerciais da cidade em seu trenó iluminado, mas sempre com máscara de proteção e sem descer do veículo, para evitar aglomerações.

O ator Roberto Bolant, que atua como Papai Noel há 15 anos, confirma que em 2020 o trabalho foi muito diferente. “É tudo muito novo, mas traz uma boa oportunidade de usar a nossa imaginação”, explica. Ele também ressalta que, apesar de ter experiência com cinema, sentiu certa difi culdade em interagir apenas com uma câmera, sem o contato direto com o público. “A interação com as crianças é muito gostosa, porque elas são muito espontâneas e têm reações maravilhosas”, diz, lamentando o distanciamento deste ano.

Para o Papai Noel Marcos Blumenthal, diretor do Clã dos Papais Noéis do Brasil, que reúne 1,3 mil profi ssionais em todo o País, este ano foi atípico, porém, mesmo com as restrições, os Papais Noéis foram bastante procurados para trabalhos presenciais e faturaram o dobro do que em anos anteriores.

“Existem shoppings que colocaram os Papais Noéis separados por uma placa de acrílico, outros dentro de um globo gigante. Existe, ainda, aqueles que trabalharam à distância, online. Mas muitas famílias e empresas, o que representa a maioria de nossos contratados, esperam a presença do Bom Velhinho”, afirmou, ressaltando que esses profissionais seguiram todas as recomendações da OMS (Organização Mundial de Saúde). A associação dele aceita Papais Noéis a partir de 35 anos.

No Piracicaba Shopping, os encontros virtuais foram promovidos entre os dias 23 de novembro e 23 de dezembro por meio da realização de chamadas de vídeo com o Papai Noel. Nesse centro de compras, as crianças ficaram dentro de um espaço cenográfico, ao lado da decoração de Natal da praça de Eventos Norte, onde podiam conversar com o Papai Noel por meio de um monitor de TV.

Já a entrega das tradicionais cartinhas foi realizada numa caixa de correspondência, com o retorno do Bom Velhinho no endereço da criança.

Sara Elydio, gerente de Marketing do Shopping Piracicaba, explica que esse novo formato foi uma opção para manter esse momento tradicional do Natal, com toda a expectativa e a emoção características do encontro com o Papai Noel. “O contato digital permite que a criança converse, faça o pedido e tenha uma interação com o Bom Velhinho. É uma experiência diferente, que também vai ficar guardada na memória afetiva dos pequenos e pequenas”.

Sobre a presença do Papai Noel apenas em seu trenó, desfilando pelos principais corredores comerciais da cidade, o diretor de promoções da Acipi, Luis Gustavo Berto, explica que essa foi uma alternativa viável num ano de pandemia. “As pessoas aguardam para poder se aproximar do Papai Noel. Neste ano foi diferente, mas o encanto do Natal deve permanecer”, afirmou.

Outra atração de Natal destacada pela Acipi para este ano é a Passarela Pênsil, que recebeu 28 mil pontos de led, sobre o Rio Piracicaba. Essa passarela, um dos pontos turísticos mais tradicionais da cidade, fi cará iluminada até o dia 6 de janeiro. “O Natal é um momento singular, que traz alegria para as pessoas. Precisamos lembrar desse lado humano, espiritual para que tenhamos a magia mantida”, afi rmou o presidente da Acipi, Luiz Carlos Furtuoso.

Ana Carolina Leal
[email protected]

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

quatro × 1 =