Peça sobre transgenia tem dupla apresentação neste domingo

Foto: Divulgação

A organização do espetáculo pede doação de 1k de alimento para Fussp

O Teatro Municipal Dr. Losso Netto recebe hoje (domingo) o monólogo “Rogério, Venha ver a Travesti”. Haverá duas sessões: às 18h e às 20h com ingressos gratuitos com distribuição iniciando uma hora antes da apresentação. A organização da peça pede a doação de um quilo de alimento não-perecível como forma de contribuir com o Fussp (Fundo Social de Solidariedade de Piracicaba). Para acessar o teatro é obrigatório o uso de máscara e apresentação de carteira de vacinação com a dose única ou segunda dose da vacina contra o covid-19 mais documento de identificação pessoal (RG e CNH). A realização e da Semac (Secretaria Municipal da Ação Cultural) e da ONG Casvi.

O enredo conta sobre a drag queen Lily Butterfly. A personagem principal recebe um pequeno público que está na casa de Cido, uma pessoa transgênero, para visitá-lo. Depois de recepcionar o público e dar sua opinião sobre seu modo de vida, a hostess pede que as pessoas entrem, em silêncio, no seu quarto. Lily e Cido são interpretados por Anselmo Figueiredo.

Cido é um morador de um bairro de periferia que vive sozinho na casa onde nasceu, porém, acredita que seus irmãos e irmãs mais novos ainda vivem com ele. Além de falar sobre a discriminação que sofreu e sobre seu modo de vida, ele gosta de contar como é sua relação com as pessoas do bairro em que mora, sua profissão, seus desejos, sonhos, medos e angústias. Relata para o público, em cenas que se misturam entre realidade, lembranças do passado e delírio, a forte identificação com sua mãe, já falecida, e com Rogério, suposto meio-irmão, por quem ele espera durante toda encenação.

Por meio deste monólogo, o Coletivo Teatral LGBTQIA+ da ONG Casvi convida o público a uma interessante reflexão sobre a diversidade sexual e suas diferentes expressões, propondo um olhar sobre outras cores do arco-íris. A reflexão acontece por meio da história de vida de pessoas com orientação sexual e identidade de gênero diferente do padrão cis-hetero-normativo e binário de gênero, e que não fazem parte do movimento social LGBTQIA+ organizado. A peça trata, de forma não-convencional, do comportamento humano e suas contradições.

Cristiane Bonin
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

vinte − 20 =